Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

A reabilitação de animais depois da tragédia de Brumadinho


18/07/2021 04:00

Cristiane Cäsar
Analista da Vale e doutora em comportamento animal – Diretoria de Reparação de Brumadinho

 A reabilitação animal é definida como o tratamento e cuidado temporário de animais feridos, doentes ou mantidos em cativeiro por determinado período, seguido pela soltura em seus ambientes naturais. O processo de reabilitação envolve o uso de diferentes técnicas de manejo e enriquecimento ambiental para propiciar a recuperação física e comportamental desses animais. Ou seja, a reabilitação serve para que os animais adquiram ou readquiram suas habilidades, capacidades e comportamentos naturais, essenciais à sua sobrevivência, antes de serem soltos ou reintroduzidos na natureza.

Após o rompimento da barragem B1 em Brumadinho, foram iniciadas ações emergenciais e contínuas com o objetivo de reabilitar e reintroduzir animais impactados, resgatados ou apreendidos na área de influência do rompimento. Um dos maiores desafios do processo é garantir que o animal adquira as habilidades necessárias para encontrar alimento, abrigo ou identificar um predador, por exemplo. Por isso, um plano de trabalho específico para cada indivíduo é elaborado.

Dependendo do caso, os procedimentos podem envolver a necessidade de se formar um grupo social saudável, onde todos os indivíduos serão reabilitados e soltos ao mesmo tempo. Isso acontece com as maritacas, rolinhas-roxas, tico-ticos e canários-da-terra que foram reabilitados pela Vale e instituições parceiras. Esse estímulo à interação entre indivíduos da mesma espécie favorece, especialmente, animais resgatados ainda filhotes, e que de outra forma não teriam como aprender comportamentos essenciais à sua sobrevivência. Certos animais, incluindo os resgatados em situação de cativeiro irregular, apresentam deficiências físicas, como por exemplo ausência de penas devido a corte e/ou brigas, ou algum membro quebrado. Nesses casos, pode ser necessário um reforço alimentar ou até mesmo um procedimento cirúrgico para que o animal readquira as condições físicas necessárias à sua sobrevivência e bem-estar.

A realização de treinamentos que avaliem e confirmem os comportamentos aprendidos são essenciais para comprovar as habilidades sociais, anatômicas e funcionais. E, antes da soltura, os animais ainda passam por exames sanitários a fim de garantir sua saúde e impedir a introdução de patologias no ambiente de soltura. Por fim, após a soltura, é recomendado que esses animais sejam monitorados para avaliar sua sobrevivência e bem-estar no ambiente natural. No total, 65 animais silvestres impactados pelo rompimento, encontrados em áreas de obras ou que estavam em situação de risco nas comunidades, foram reintegrados à natureza ao longo dos últimos dois anos.

A realização de todos esses procedimentos é a melhor maneira para garantir que o processo de reabilitação e reintrodução animal seja desenvolvido de maneira segura, adequada e comprometida com a manutenção de um ambiente saudável e equilibrado.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade