Publicidade

Estado de Minas

Perspectivas da humanização no ambiente hospitalar


postado em 27/08/2019 04:00 / atualizado em 26/08/2019 19:09

Janaina Gomes
Coordenadora do Setor de Psicologia Hospitalar do Hospital da Baleia


Hoje, é comemorado, no Brasil, o Dia do Psicólogo, e a oportunidade é importante para lembrar o mérito do trabalho realizado no ambiente hospitalar. A psicologia hospitalar é uma área do conhecimento que visa fornecer suporte ao sujeito em adoecimento, com o intuito de que possa atravessar essa fase com maior resiliência. A pessoa fragilizada biopsicossocialmente busca a compreensão do seu processo de adoecimento, tendo, assim, o psicólogo como facilitador para a reestruturação e resgate das construções das relações intrassubjetivas e intersubjetivas. Muitas vezes, a identidade do paciente é diluída numa situação de internação, emergindo, daí, um processo de despersonalização. Os profissionais da saúde precisam, assim,     olhar para além da doença e ampliar a noção do cuidado restrito a quatro paredes, enfim, olhar para a janela da vida e tentar compreender as condições multifatoriais do processo saúde-doença.

A importância do psicólogo na humanização é retratada a partir da sua prática no contexto hospitalar, proporcionando recursos emocionais ao indivíduo, bem como aos seus familiares e cuidadores, para uma melhor compreensão da necessidade e importância do processo de hospitalização, assim como orientação e acolhimento para uma melhor adesão ao tratamento

Referências bibliográficas da área reforçam que não se deve dividir o indivíduo entre corpo e mente, esquecendo-se da história pregressa pessoal, familiar e social. Deve-se entender que o ser é único, singular, e que seu modo de existir, bem como adoecer, tem suas características próprias, de maneira original e individual.

Uma dessas referências reforça que a humanização tem como aspecto fundamental a valorização do indivíduo como um todo. Dessa forma, o psicólogo que atua no ambiente hospitalar tem como papel uma maior valorização do ser doente do que a patologia do mesmo. Aprendemos, também, a ouvir seus familiares em um local próprio e adequado. Fica claro que, para a prática da humanização dar certo, é necessário realizar uma execução reflexiva acerca dos valores e princípios que norteiam a prática profissional. Só assim conseguimos realizar um tratamento digno, solidário e acolhedor por parte dos profissionais da saúde ao doente, garantindo que a humanização busque sempre manter ou melhorar a qualidade da comunicação, consequentemente, a possibilidade de relacionamentos mais saudáveis e próximos.

Humanizar o atendimento ao paciente significa fundamentar o trabalho no respeito e na valorização do sujeito, transformando a cultura institucional por meio da construção coletiva de compromissos éticos e métodos que determinam um caráter humanizado do serviço como um todo. 

Portanto, o processo de humanização no ambiente hospitalar perpassa o cuidado ao sujeito adoecido, envolvendo familiares e profissionais da saúde, cujo foco está no resgate da humanização, possibilitando a retomada da dignidade de todos, tendo como objetivo um ambiente de trabalho saudável e a garantia de qualidade do atendimento ao paciente.


Publicidade