Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Redes sociais, a violência e a política

A política tem se tornado mais violenta por causa das redes sociais?


postado em 14/04/2019 05:06

Uma das características marcantes das redes sociais é a comunicação direta e improvisada, de tal modo que os usuários tendem a escrever sem pensar nas consequências, semelhante ao "falei sem pensar". Logo, o "publiquei sem pensar" tem sido recorrente e suas consequências assumem gravidade em razão do alcance.
O "publiquei sem pensar" tem virado notícia pelas mensagens ásperas, sujas e, muitas vezes, com ódio. Não é incomum usuários se sentirem ultrajados e exigir algum controle. O argumento é que a violência seria incitada, como se uma mensagem de conteúdo violento provocasse uma correspondente violência física. E seu uso na política é uma realidade, o que gera a pergunta: a política tem se tornado mais violenta por causa das redes sociais?.
A política expressa um desejo humano de resolver pacificamente as diferenças de entendimento sobre qualquer questão que se torne socialmente relevante. Porque a alternativa seria o uso da violência para acabar com a discordância.
Desse modo, política é a contenção do uso da violência física na sociedade. Quanto mais uma coletividade investir na política, mais civilizada ela será, pois estará evitando o uso da violência física como meio de convencimento. Ou seja, uma civilização se constrói pela política.
E como essa definição de política se aplica nas redes sociais? Fundamentalmente, ao considerar que uma pessoa, ao se expressar de modo improvisado e agressivo, o faz mais para extravasar uma raiva acumulada por determinado assunto do que para incitar a violência. O conteúdo mal pensado teria mais o efeito de evitar uma agressão física do que provocá-la.
Por tudo isso, o uso político mais frequente das redes sociais vai colocar, em primeiro plano, a violência que perpassa e se manifesta nas relações sociais. Não é possível esperar que a linguagem das redes sociais poderá, de imediato, ser menos violenta, pois uma de suas funções é exatamente  servir de catarse das frustrações e raivas acumuladas na vida de qualquer pessoa. Ao mesmo tempo, o uso mais frequente das redes sociais promoverá uma etiqueta autorregulamentada do seu uso, estimulando que seu conteúdo seja menos carregado de mensagens beligerantes, com os participantes extravasando suas raivas e frustrações de modo mais refletido e conseguindo, ao mesmo tempo, duas coisas fundamentais: descarregar suas fortes emoções e usar as redes sociais como meio de colocar adequadamente suas queixas sobre determinado assunto.
A política civiliza.


Publicidade