Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Espaço do leitor


postado em 14/04/2019 05:06

SUPREMO
Assinante elucida
sobre decisões do STF

Geraldo Magela da Silva Xavier
Belo Horizonte

 "É bom lembrar que esse negócio de pautar as decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) começou com a esquerda. E a esquerda só não se revoltou com o STF porque a corte rasgou a Constituição para atender às suas vontades, como nos casos da aprovação do aborto de anencéfalos, das cotas, casamento homossexual e criminalização da homofobia. Nesse último caso, chegando ao cúmulo de criar crime por analogia. A propósito, a mesma lei em que o Supremo se baseou para criminalizar a homofobia (Lei 7.716/89), também tipifica como crime o nazismo. Já imaginou se um STF, dominado por ministros indicados por Bolsonaro, aproveita esse precedente e use também da analogia para criminalizar o comunismo? Já que para os bolsonaristas nazismo e comunismo são irmãos siameses. Aí a esquerda vai querer reclamar na ONU, com os amiguinhos Bono Vox e Roger Waters."


DESABAFO
Torcedor atleticano
relata erros da diretoria
 
Tarcísio P. Ferreira

"A enorme torcida atleticana está em completo desencanto. Não bastassem as besteiras feitas pela diretoria anterior, a atual me parece até pior. Tenho certeza de que ambos os presidentes são pessoas de bem e com boas intenções. Mas diz o ditado popular 'que de boas intenções o purgatório está cheio'. O presidente anterior vendeu a metade do Diamond para a construção de um estádio. Errou. Ao atleticano interessa novas conquistas. Até porque, os estádios Independência e Mineirão atendem plenamente e o estádio a ser construído, até pela péssima localização, promete ser um elefante branco. A fortuna obtida poderia ter sido empregada em pagamento ou enorme amortização da dívida e investimentos nas categorias de base e, também, em boas contratações. A atual diretoria não lhe fica atrás. Priorizou outras competições, relegando a Copa Sul-Americana, título que seria bem fácil de se conquistar e que lhe colocaria direto na fase de grupos da Libertadores. Prioriza a arrecadação de dinheiro e quando contrata jogadores o faz mal, como um tal atleta chamado Chará. Ambas as diretorias venderam jogadores que despontavam como craques. A atual contratou como técnico o ultrapassado 'Levir Culpa'! Desculpem-me, errei, o nome correto é Levir Culpi. Um técnico que não tem vibração, que escala mal e substitui pior ainda, e que fica na beira do campo olhando 'a vaca ir pro brejo', impassível, tomando água ou ajeitando o boné. Já que comecei, vou também falar do time atual. Começo pelo goleiro Victor, esse anda em má fase e está precisando de uma reciclagem. Tem tomado gols plenamente evitáveis e até mesmo ridículos, como o quarto gol do Cerro Porteño, no último jogo pela Copa Libertadores, em que em vez de tentar cortar com a mão a trajetória da bola, até mesmo trombando com o atacante e defensor, situação em que o juiz inevitavelmente marcaria falta nele, tentou, atabalhoadamente, e com pé alto, matar a jogada. A cena, se não trágica, foi cômica. Confesso que não segurei o riso. Por outro lado, ele precisa de treinamento para sair nas bolas levantadas na área, pois fica sempre estático na linha do gol, quando poderia, com a vantagem da altura e de poder pegar com as mãos, eliminar a sequência de tantos gols de cabeça que vem sofrendo. Que saudade do Tafarel. E olhem que ele é um dos bons jogadores do que classifico um dos piores times de todos os tempos do meu querido Galo, do qual sou torcedor há mais de sete décadas. Pensei bem, não vou falar do resto do time. Chega, prefiro parar por hoje, humilhado pelos meus amigos cruzeirenses e sem esperança de melhores dias, pelo menos a curto prazo."


SEM RUMO
Leitor questiona  
desempenho do governo

Rafael Moia Filho
Belo Horizonte

 "Cem dias sem rumo, sem projetos consistentes, sem combate ao desemprego, sem solução para a economia, sem diálogo, sem demitir o ministro corrupto do Turismo, sem nenhum projeto para a educação, sem solução para a saúde pública, sem obra de infraestrutura, apenas fa


Publicidade