Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Espaço do leitor


postado em 13/04/2019 05:03








cartas




EDUCAÇÃO
Corte no programa
de escola integral

Marcos Tito
Belo Horizonte

"Deplorável e absurda a decisão do estado de Minas Gerais em encerrar o atendimento da escola em tempo integral em mais de 1.600 unidades de ensino fundamental da rede pública. Infelizmente, essa é a postura do Governo Zema diante da educação pública. Por outro lado, é preciso que o Poder Legislativo tome posição diante desse absurdo e não fique impassível e silente. Como ficarão as famílias, em especial as mães que trabalham e não têm onde deixar os filhos que estudam nessas escolas, de agora em diante? Reitero meu repúdio e indignação a esse absurdo. Meus pêsames ao governador Zema e à sua secretária da Educação, Julia Santana."


TRAGÉDIAS
Leitor responsabiliza
presidente da Vale

Múcio Batista de Souza
Belo horizonte

"Engraçado. De repente, como sempre ocorre em nosso país, parece que a população se esqueceu da tragédia, ou melhor, das tragédias provocadas por duas mineradoras já nos três primeiros meses deste ano. O distrito de Bento Rodrigues, que a Samarco prometeu reconstruir em outro local para atender a população então prejudicada, mesmo transcorridos mais de três anos, parece-nos, ainda não saiu do papel. Considerando que as leis brasileiras foram e são elaboradas para proteger os  poderosos, julgamos ser imprescindível a colaboração da imprensa, que deveria estar ao lado do Ministério Público e do Poder Judiciário, que lutam bravamente contra dezenas de advogados regiamente pagos por essas empresas. O sabido Fábio Schvartsman, julgando-se esperto como qualquer malandro de rua, afastou-se da presidência da Vale, objetivando, tão somente, ser 'esquecido', tentando se safar da responsabilidade pelo assassinato de mais de 300 seres humanos, causado pela sua vaidade e ganância. Lembramos que mais de 60 corpos ainda não foram localizados. A sua vaidade levou-o a exigir aumento da produção das muitas dezenas de minas da Vale, o que o tornaria o mais competente de todos os presidentes da empresa, desde sua criação. Aumentar a produção da empresa provocou a maior tragédia em um ambiente de trabalho já ocorrido no Brasil. Quanto à sua reconhecida ganância, entendemos que procurou ele aumentar sua remuneração, embora o salário do presidente dessa empresa seja um dos maiores salários pagos a empresários em nosso país. Ocorre que, ao aumentar a produção da empresa significa aumentar, significativamente, o lucro da empresa e, em razão disso, o bônus distribuído aos diretores aumenta substancialmente, em especial aquele destinado ao presidente. O irresponsável gestor também causou danos materiais de valores inestimáveis a comerciantes e outros trabalhadores não contratados pela empresa. Estão falidos. Assim como um veículo transitando em alta velocidade causa desastres irreparáveis unicamente devido ao seu despreparado condutor, a tragédia ocorrida em Brumadinho e em outras localidades, ocorridas ou em risco de ocorrer, são por culpa exclusiva dos dirigentes da Vale, especialmente de seu ganancioso presidente. Crimes tão horrendos quanto o assassinato de moradores em Bento Rodrigues e de mais de 300 em Brumadinho, registramos as mortes dos rios Doce e Paraopeba, que podemos classificar como crimes contra a humanidade. Que os responsáveis sejam severamente punidos e, consequentemente, se faça justiça."

 

 RACHADINHA
Críticas à postura
de vereador de BH

Wandir Pinto Bandeira
Belo Horizonte
 
"Amplamente divulgado pelo Estado de Minas, o vereador Cláudio Duarte (PSL) foi preso pela Polícia Federal sob acusação de aplicar o chamado golpe 'rachadinha' contra auxiliares contratados para seu gabinete. Acontece que esse golpe tem sido aplicado, rotineiramente por outros políticos, sem nenhum pudor. Assim, podemos classificar de 'rachadão' quando aplicado por senadores e deputados federais, 'rachada' por deputados estaduais e, finalmente, 'rachadinha' pelos vereadores, naturalmente devido ao volume de verbas destinadas para contratar pessoal para atender às suas atividades. Normalmente, do salário do auxiliar contratado fica pactuado que um percentual de valor é retirado em favor do político contratante, uma prática condenável, ilícita e desonesta que, por si só, num país politicamente sério, seria o bastante para a cassação do mandato do político por sua falta de ética e conduta desabonadora."


internet


Saiba o que atrasa a identificação de vítimas de barragem em Brumadinho

“Eu já cansei de arrumar mesas de necropsia. Não há investimentos nas perícias. São mais de 30 anos de puro desprezo dos governos. Os deputados sabem disso e só agora, aproveitando o sofrimento alheio, resolveram fazer esta CPI, que de nada irá adiantar. Os instrumentos para a necropsia eram meu pai quem fazia, Serras, agulhas com aro de moto, linha de soltar pipas para sutura etc.. Se o povo conhecesse as ‘entranhas’ de uma sala de necropsia... Descaso dos governos, mão de obra sucateada. A perícia medico-legal faz milagres, isto sim.”
. Paulo Nobre

MPF questiona Ibama sobre possível conversão de multa aplicada à Vale

“Vai entrar com recurso e depois, quando a Justiça der um veredito, que vai demorar décadas, será pago em milhares de parcelas.”
. Giangregório Ramon

“É o famoso jeitinho brasileiro.”
. Claudio N. Silveira Navarro

Governo federal extingue mais de 13 mil cargos efetivos

“É preciso enxugar a máquina pública. Há no governo federal muitos órgãos desnecessários e insignificantes.”
. José Francisco Nunes

Governo Federal anuncia R$ 4 bi para metrô de BH e outras obras em MG

“Metrô no Barreiro é lenda urbana.”
. Jacqueline Oliveira

“Anunciar é fácil, quero ver o dinheiro chegar aqui.”
. Olivia Di Maria

“Opa.. metrô no Barreiro? Truco!”
. Luciana Mahé

 


Publicidade