Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Espaço do leitor


postado em 01/04/2019 05:03


PREVIDÊNCIA
Desigualdade nos benefícios
Mário A. Dente - São Paulo
“Os governos brasileiros são mentirosos em todos casos. Pois são dirigidos por políticos. Analisemos o caso do alegado déficit da Previdência. Os contribuintes do INSS depositam por 30/35 anos para receber uma merreca quando se aposentam, enquanto os políticos e funcionários dos três poderes recebem muitas vezes mais. O valor depositado é de centenas de milhares de reais, que some no INSS. Para onde vai e em que bolsões ficam? Onde estão as auditorias, o Cade e outros órgãos fiscalizadores? O governo alega déficit, embora se aposse dos trilhões depositados por milhões de trabalhadores, mas esses valores são desviados para contas de políticos e laranjas ácidas. O governo deveria dar aos cidadãos a opção de contribuir em órgão governamental ou instituição não governamental, assim teriam direito de continuar recebendo mensalmente ou sacar todo montante depositado, mais juros e rendimentos.”

INSS
Prova de vida gera dúvidas
Marco Aurélio - Belo Horizonte
“Recentemente, recebi uma informação pelos meios de comunicação que o INSS vai realizar visitas solicitadas, através do número 135, para fazer a prova de vida daquelas pessoas acima de 80 anos que estão acamadas, e sem as mínimas condições físicas, de se deslocarem até uma agência bancária. Prontamente, entrei em contato com a atendente desse número para saber como proceder no caso do meu pai, que está com 97 anos incompletos, portador de neoplasia maligna da próstata, e sem condições físicas para tal, pois faz suas necessidades na fralda, está praticamente surdo, e já confuso. Não consegue assinar mais uma procuração, e, como se não bastasse, as digitais dele não estão mais legíveis. Pelo telefone, as atendentes desconhecem o assunto. Estou preocupado com o risco de seus proventos serem bloqueados pela Justiça, tendo em vista que precisa deles para comprar os medicamentos.”

Saúde
Pelos impostos sobre cigarro
Daniel Marques  - Virginópolis – MG
“É um retrocesso a proposta do ministro da Justiça, Sérgio Moro, de diminuir os impostos do tabaco. Fui fumante por mais de 20 anos e cessei o vício graças a um programa do Ministério da Saúde em parceria com a secretaria municipal de saúde de minha cidade, que forneceu apoio médico, psicológico e medicamentoso. Recordo que me assustava ao gastar metade do valor das compras semanais com cigarro. Ao somar o total dos anos, cheguei à conclusão de que gastei o valor de um belo carro médio novo apenas com cigarros. Ainda mais assustador foi perder meus dois avôs por complicações decorrentes do tabagismo e, ao acompanhar meu pai no hospital, na ala dos fumantes, fiquei horrorizado com pessoas com furos nos pulmões, garganta, gangrenas, todas aquelas imagens horríveis que estampam os maços de cigarros. Nosso governo deveria manter e aprimorar os programas reconhecidos mundialmente e benéficos à população. Produtivo e realista seria o ministro Sérgio Moro usar o raciocínio que utiliza sobre o tabaco para a maconha medicinal e recreativa, assim, o estado brasileiro gera 500 mil empregos, arrecada milhões em impostos, reduz a lotação carcerária e diminui uma obrigação da polícia. Percebe-se que nosso governo não atua usando a lógica e a racionalidade, mas age empenhado em fortalecer grupos empresariais em detrimento do Estado e das contas públicas.”

Esquerda
Incoerências entre discurso e prática
Túlio Marco Soares Carvalho - Belo Horizonte
“A esquerda alega que os eventos de 1964 não deveriam ser comemorados, tendo em vista, principalmente, o devido respeito aos seus mortos e desaparecidos. Entretanto, essa esquerda hipócrita, uma vez no poder, através do PT, conspurcou a memória desses mortos e desaparecidos, através da roubalheira e corrupção. O sangue daqueles que morreram no passado não irrigou sementes de justiça, mas tão somente as sementes do mensalão e petrolão. Que moral essa gente vendida tem para se apropriar de 1964?”


NO EM.COM.BR
Batida mata quatro pessoas na BR-040, em Congonhas
“Há mais de meio século que este trecho da rodovia BR-040, entre Alphaville e Lafaiete, foi inaugurado e continua absolutamente igual, sem segurança efetiva, sem duplicação das pistas, sem acostamento. Mas, nestes últimos 10 anos, o volume de tráfego aumentou 100%, e praticamente não há melhoria. Até quando essa concessionária irá abusar dos cidadãos que pagam seus impostos e têm que trafegar em uma rodovia com pistas simples, sem segurança e pagando pedágio?”
Paulo Barbosa

‘Planeta América’: clube apresenta a conselheiros passo a passo do projeto de novo CT
“Parabéns ao América, prova viva de que, com uma diretoria competente e pés no chão, tudo é possível. Creio ser o único clube no Brasil a construir toda sua estrutura para depois, sim, sem dívidas milionárias, conquistar títulos. Se Galo e Cruzeiro tivessem essa mentalidade, seriam campeões, e não falidos. A verdade é essa.”
João Paulo

“Não adianta ter um CT de primeiro mundo e pensamento (e futebol) de time de série B. Para ser grande precisa pensar como time grande e agir como time grande, e a isso o América está longe de corresponder. Infelizmente.”
Dayve Dmp


NO FACEBOOK
Batida mata quatro pessoas na BR-040, em Congonhas
“Meus pêsames aos familiares. Esses carreteiros, na maioria, são uns irresponsáveis. Passei por lá e fiquei no congestionamento. Só duplicando esse trecho.”
Reinaldo Fernandes

Fim de semana terá simulados de evacuação por barragens em quatro cidades mineiras
“Absurdo. Simulado de evacuação” Essa é a solução da Vale, enquanto matam rios e destroem a natureza. Fim de semana aprendendo a correr de um crime ambiental sabendo que nada foi feito depois do crime ambiental em Brumadinho. É um absurdo a população aceitar isto. Fora, Vale!”
Sandra Giseli Furtado

“Antes, faziam simulado pra fazer a prova do Enem, da faculdade, agora estão fazendo simulado pra não morrer. Esse é o Brasil!”
Geovani Andrade


Publicidade