Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Espaço do leitor


postado em 06/03/2019 05:03

FUTEBOL
Síndrome do tatu-bola chega aos gramados


Tarcísio P. Ferreira
Belo Horizonte

“O futebol brasileiro está infestado de tatus-bola! Foi o Neymar quem introduziu a espécie no futebol nacional e mesmo mundial. A qualquer falta que recebia, rolava por metros e metros nos gramados. De tanto abusar da encenação, está marcado pelos juízes, que pela aversão que tomaram ao engodo, agora, deixam que ele seja mesmo caçado em campo. Mas, ele fez escola. Aqui, no Brasileirão e nos campeonatos estaduais, vemos jogadores rolarem pelo gramado por muitos metros, como se fossem uma bola. Cavam faltas e cartões amarelos ou vermelhos para os adversários. Eles é que deveriam ser expulsos. No jogo do Atlético contra o Tombense, ví um jogador do Tombense rolar na lateral direita do campo até sair do gramado, como se fosse uma bola. E conseguiu o intento, com cartão amarelo para o jogador do Galo. Já é tempo de se acabar com essa farsa no nosso futebol, apenando-se com cartões os tatus-bolas”.

PERDAS
A dor pode ser imensurável


Gislaine Aguiar
Belo Horizonte

“Nos últimos meses, temos passado por tantas perdas e tristezas que parecemos não acreditar. A ganância do ser humano e sua falta de amor ao próximo resultam em atitudes desonestas e imprudentes. Quero me solidarizar com tantas famílias que choram a perda de seus familiares. Há poucos dias, perdi também um valioso tesouro. Aquele que me guiou pela mão durante toda a minha vida, meu maravilhoso paizinho. Às vezes, penso que estou sonhando. Não sabia que a saudade dilacerava a alma. Talvez, a maior tristeza seja saber que nunca mais vou vê-lo, nunca mais vou afagar seus cabelinhos brancos. Nós não somos preparados para a morte, talvez por isso tanto sofrimento. O fato é que eu não gostaria de tê-lo perdido. Seu amor era muito importante para mim. Seus conselhos, suas observações, suas risadas, nossa cumplicidade. Ainda tínhamos muito que viver. Precisávamos viajar, fazer compras e trocar ideias. Tínhamos que desvendar os mistérios das manhãs ensolaradas, apreciar os pores do sol. Precisávamos ter mais tempo para entender as graças recebidas e aquelas não concedidas. Quero que ele sempre guie meus pensamentos e dirija os meus passos em direção ao correto. E quando eu precisar voar e não conseguir, que ele me lembre como fazê-lo. Eu pedirei emprestadas suas asas, as asas do meu anjo, meu anjo pai!”

APOSENTADORIA
Um pouco de reforma da Previdência


Jeovah Ferreira
Brasília

“O assunto do momento é a reforma da Previdência. Tem gente contra e tem gente a favor. Bom seria que todos aqueles que são contra arrumassem um tempinho para fazer uma leitura sobre a Previdência no Brasil e fechassem os ouvidos para aqueles que apostam no ‘quanto pior melhor’. O ministro Paulo Guedes diz que quer aprovação integral das medidas, pois meia sola não resolve. O buraco é muito grande. Há registros de que a Previdência gastou, em 2018, R$ 80 bilhões com o Programa Bolsa-Família e o Benefício de Prestação Continuada (BPC), que beneficia com um salário mínimo o idoso que tenha completado 65 anos e não disponha de renda suficiente para manter a si ou à sua família. Outra exigência é que a renda por pessoa do grupo familiar a que ele faz parte não ultrapasse um quarto do salário mínimo. Incluem-se, aqui, pessoas com deficiência física, que também são amparadas. A proposta para mudanças diz que aquele que necessita do benefício, ao completar 60 anos, receberá R$ 400 até completar 70 anos. Daí por diante, receberá um salário mínimo. Quero afirmar o que milhões de brasileiros sabem e que investigações já comprovaram, muita fraude já aconteceu no BPC. É preciso investigar mais as condições de vida daquele que recorre a esse benefício. Não se pode deixar brecha para fraude. Falemos um pouco da aposentadoria rural. Hoje, sem obrigatoriedade de contribuição e com a comprovação de 15 anos de trabalho no campo, número bem maior do que os trabalhadores rurais que contribuem com 1,7% sobre o valor da receita bruta proveniente da comercialização da sua produção. O homem se aposenta aos 60 anos e a mulher aos 55. Com a reforma da Previdência, homem e mulher deverão contribuir durante 20 anos para se aposentarem aos 60. É sabido que na aposentar rural bilhões de reais também são consumidos pela fraude. É preciso arrochar. Os nossos deputados e senadores precisam de pensar no Brasil. Ceder a pressões descabidas, jamais. Contribuir para usufruir.”

EM.Com

Franceses são esfaqueados em tentativa de assalto no carnaval de BH
“Assalto desse tipo tem em qualquer lugar do mundo. Só quem nunca saiu do país não sabe disso. Não dá para controlar todo mundo, vagabundo tem em qualquer lugar. Obviamente, não posso deixar de dizer que esse tipo de situação é intolerável e em nosso país há muita violência, mas não é culpa do carnaval.”
Marcelo Cal

Hering é notificada por monitorar clientes
“Ninguém tem bola de cristal para saber qual dado está sendo coletado e, muitas vezes, em outras empresas, até vendido ou compartilhado. O que o Idec quer é transparência.”
Larissa Almeida

Franceses são esfaqueados em tentativa de assalto no carnaval de BH
“Eu ia apostar que foi durante a noite, abri a matéria e acertei. Durante a noite, o número de policiais é bem menor.”
Aline Ventura

Minas tem redução de mais de 50% de crimes violentos durante o carnaval, diz PM
“Com a polícia na rua é outra coisa.”
Geraldo de Freitas

O Baianas Ozadas comunicou mudança de trajeto
“Os bombeiros merecem respeito e têm competência para gerenciar riscos. Não sou contra o carnaval em BH. Mas a cidade não tem estrutura para o que estão fazendo. O carnaval deveria se concentrar em um só lugar. Com horários. Existem hospitais, casas de repouso, e outros órgãos. Infelizmente, os integrantes dos blocos só querem o lucro.”
Eliane de Oliveira

 

 


Publicidade