Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Espaço do leitor


postado em 24/01/2019 05:02

MILAGRE
Muito tempo para
equilibrar as contas

Armando Zoni Rodrigues
Belo Horizonte

"Manifestação particular de um brasileiro patriota. Tenho a convicção de poder afirmar que o termo 'idealismo político' nunca existiu. Os que sempre se propuseram a servir ao povo nessa atividade, com raras exceções, só queriam mesmo era usar do cargo para enriquecer ou proteger algum segmento do seu interesse. Olhando ainda com mais firmeza esses predestinados que se candidatam, eles visam poder servir os amigos e parentes, com indicações de cargos, principalmente no serviço público. O povo, para eles, tem como única serventia o malfadado voto, mais nada. Cabe a nós, hipócritas eleitores, deixar a coisa rolar, como sempre foi feito. Disso tudo fica o triste fato de que o desequilíbrio entre os poderosos e o povo chegou ao ponto que chegou. Vamos considerar o momento que estamos vivendo. Nosso dinheiro foi em volumes imensos para fora do país. E foi sem volta. Em razão disso, pela falta de circulação da moeda, empresas fecharam as portas e o desemprego tomou conta. Vamos precisar, talvez, de uma geração ou mais para equilibrar nossas finanças. Dentro da maquiavélica obstinação do PT pelo poder, à custa de um árduo trabalho, conseguiu nesses anos, à frente do Executivo, criar uma montanha de benefícios e beneficiados, não importando serem eles do serviço público, do meio artístico ou dos setores mais pobres. Difícil, muito difícil, convencer um apadrinhado de que o momento agora é outro. Chega a ser triste dizer, mas o brasileiro, em sua grande maioria, é passível de aceitar vantagens a troco de algum benefício. Nesse aspecto, o PT foi um grande articulador. Soube com maestria convencer grupos e pessoas com características de liderança, impondo a eles sua doutrina. E agora? O que podemos esperar? Talvez um milagre a nascer de uma cabeça brilhante. Nosso governo, com ministros escolhidos a dedo, vai trabalhar para reverter o quadro dramático que foi o desastrado governo do PT. Construir é um fato, pois começa do início. Mudar os fatos depois de colocados é uma árdua tarefa. Volto a insistir na possibilidade de um milagre. Que assim seja."
 

SANTOS DUMONT
Fechamento de museu
de Cabangu contestado


Elzo Jorge Nassaralla
Belo Horizonte

"Sou brasileiro, filho de libaneses. Nasci em uma pequena cidade que fica na Estrada Real, no Caminho Novo. A cidade é uma das 853 do nosso estado, tem uma história gloriosa. Foi lá que nasceu o Pai da Aviação, um dos brasileiros mais inteligentes que apareceram no país. E, por consequência, os moradores daquela cidade têm um orgulho sem dimensão quando se trata do patrono da cidade. Qual não foi minha surpresa quando vi na primeira página uma chamada com o título: 'Santos Dumont fica sem museu'. Claro que a primeira reação é aquela: 'Não é possível! Só acontece isso no Brasil. Fosse lá nos Estados Unidos ou na Europa e ninguém acreditaria.' Qual foi minha reação? Sou engenheiro, trabalhei nove  anos no Departamento Nacional de Estradas de Rodagem (DNER), 3 anos no Geipot e tenho 50 anos de lutas como consultor, trabalhando em projetos, supervisionando obras rodoviárias, ferroviárias e aeroportuárias. Tive a honra de ajudar na elaboração do projeto de ligação do Centro da minha cidade à área onde está o Museu de Cabangu, situado na mesma casa onde nasceu o nosso mais ilustre conterrâneo. Participei da festa de inauguração daquela obra, no ano do centenário de nascimento do Alberto Santos Dumont, em 1973. Estavam lá presentes o ministro Mário Andreazza, o diretor-geral do DNER, engenheiro Eliseu Resende, o chefe do 6º Distrito Rodoviário Federal, engenheiro Aimoré Dutra, e o presidente da empresa que construiu a rodovia, um brilhante empreendedor, Walduck Wanderley. Quanta saudade desses quatro homens que ajudaram o Brasil a crescer. Eles já passaram desse mundo para um panteon, onde têm lugar garantido aqueles que realizaram obras no nosso mundo! O museu fechou as portas? Será que não aparecerá uma resposta da prefeitura? O novo governador terá que ser comunicado. Por mais preocupado que ele esteja por conta do 'cofre vazio', dos salários atrasados dos funcionários do estado, dos recursos do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e da miséria que tomou conta do nosso estado. Ele terá que consultar sua bola de cristal e auxiliar a cidade do Pai da Aviação a fazer uma mágica e devolver à visitação pública aquele simples parque onde o orgulho de ser brasileiro tem que continuar a brilhar e a bater no coração dos brasileiros. Continuarei não acreditando nessa história de fechar o Museu de Cabangu. Tem de ser uma piada de mau gosto."

EM.COM.BR

HOMEM É CONDENADO A SEIS ANOS DE PRISÃO POR ROUBAR SACO DE PEQUI EM MINAS

"O problema não foi o roubo, mas sim o próprio roubo seguido de grave ameaça, como foi bem explicado. A sentença foi justa, pois a ameaça contra a vida é um ato gravíssimo."
•Alex Sander Ferreira Gonçalves

"Alguma novidade? Pobre rouba e apodrece na cadeia. Ricos ou ladrões de grandes fortunas pagam bons 'adevogados' e saem dando risadas. Até o momento, nada de novo. Trocaram, apenas, os personagens."
•Gerson Silva


FACEBOOK

FABIO ASSUNÇÃO VAI DOAR DINHEIRO DE MÚSICA BEBER E FICAR LOUCÃO
"Ilustre artista na luta contra a dependência. Atire a primeira pedra quem não tem vício algum. Respeito e admiração."
•Fabio Ogata

"Bacana! É muito fácil criticar e zoar sem saber o que está acontecendo. As pessoas precisam respeitar mais. Não é fácil sair de um vício!"
•Guilherme Batista Ribeiro

"Belo gesto."
•Dira Ramos de Oliveira

DECISÃO DA ARÁBIA SAUDITA DE BARRAR FRIGORÍFICOS BRASILEIROS TEM ELEMENTOS POLÍTICOS

"Direito deles. Se não querem comprar nossos produtos, fazer o quê? Paciência. Se o governo começar a ceder a pressões de todos os países, daqui a pouco vamos perder nossa soberania."
•Jorge Ferreira

"Se não acharem no mercado, vão implorar pra comprar. Mas se sobrar, o brasileiro vai pagar mais barato aqui. Lógica de mercado."
•Luiz Carlos


Publicidade