Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Resgatando a autoestima entre mastectomizadas


postado em 03/11/2018 05:07

Até 20% das mulheres são atingidas pelo câncer que pode deixar alterações importantes na mama, decorrentes da mastectomia. A reconstrução mamária pode ser feita imediatamente após o procedimento (no mesmo tempo cirúrgico) ou tardiamente, tanto com prótese de silicone, expansores e retalhos de pele, músculos, gordura, além da lipoenxertia. A presença de um cirurgião plástico é fundamental, desde antes da mastectomia, para que seja planejada a reconstrução mais precoce possível e da melhor forma, conforme cada caso.

A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) estabelece que a reconstrução mamária seja obtida com uma das várias técnicas para restaurar a mama, considerando-se a forma, a aparência e o tamanho após a mastectomia. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que todas as mulheres que tenham indicação para que a cirurgia seja feita no mesmo tempo cirúrgico, ou seja, imediatamente após a mastectomia, devem receber a reconstrução.

O procedimento é recomendado por incluir o tempo operatório total, diminuir o período sem a mama e manter a autoestima. Em alguns casos, é aconselhado esperar e, em qualquer uma dessas situações, a recomendação pode ser a prótese de silicone e, também, a utilização do próprio tecido da mulher, mais conhecido como reparo.

A preocupação com a agressão cirúrgica é maior na mastectomia. O cuidado é mais intenso no procedimento para fazer da forma mais adequada e obter maiores chances de cura. A partir desse procedimento, ocorre a reconstrução mamária, sem acrescentar muitas alterações à mama, aproximando-se ao máximo do formato natural.

O tempo do processo de reconstrução é variado, já que outras cirurgias são realizadas, entre três e quatro. Cada etapa reconstrói uma parte para fazer o chamado refinamento, ou seja, considerando os pequenos detalhes da mama. Geralmente, o processo total de reconstrução leva de oito a 12 meses. Atualmente, a reconstrução do mamilo é realizada da forma mais natural possível, com procedimentos menos agressivos para manter uma tonalidade bem próxima do natural.

Qualquer mulher com câncer de mama tem o direito à reconstrução mamária e da forma mais precoce possível. Ainda existem muitos mitos sobre a prótese de silicone causar câncer de mama, ou que dificulta o diagnóstico. Na verdade, não existe uma relação estabelecida e nenhum estudo comprovando a relação, desde que o rastreio seja feito de forma adequada pelos profissionais competentes e experientes. A prótese é extremamente segura e deve-se relatar ao médico no momento do exame para uma análise correta.

O câncer de mama ainda é muito prevalente na população e, na maioria das vezes, tem cura, desde que seja diagnosticado precocemente para os cuidados necessários. A reconstrução é um direito e acessível, tanto na rede particular quanto no Sistema Único de Saúde (SUS). É importante olhar para a cirurgia não como uma agressão, mas, sim, como uma forma importante para tratar e curar o câncer de mama, sabendo que há possibilidade da reconstrução, cada dia mais delicada e com recursos que possibilitam ótimos resultados para resgatar a autoestima.

 


Publicidade