Publicidade

Estado de Minas IMUNIZAÇÃO

Governo expõe atraso em cronograma e Brasil receberá menos vacinas em março

Em vez de 46 milhões de doses contra a COVID-19, país terá 37,4 milhões de doses até o fim do mês


04/03/2021 17:32 - atualizado 04/03/2021 17:49

País vai receber menos doses do que o esperado(foto: Felipe Dalla Valle/Palácio Piratini)
País vai receber menos doses do que o esperado (foto: Felipe Dalla Valle/Palácio Piratini)
A atualização do cronograma de entrega das vacinas contra a COVID-19 feita pelo Ministério da Saúde aponta uma diminuição na previsão de doses que serão disponibilizadas ao Programa Nacional de Imunização (PNI) no mês de março. Ao invés de receber 46 milhões doses de vacinas contra a covid-19 este mês, o país terá disponível, até o final de março, somente 37,4 milhões de doses.

O novo cronograma disponibilizado ao jornal Correio Braziliense nesta quinta-feira (4/3) expõe um atraso na importação de doses da Covishield, conhecida popularmente como a vacina de Oxford, da Índia.

No documento apresentado em reunião com governadores, em 17 de fevereiro, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, anunciou que a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) entregaria 4 milhões de doses prontas importadas da Índia ainda em março. No entanto, o novo cronograma exposto pela pasta nesta quinta, aponta que a Fiocruz só entregará 3,8 milhões de doses produzidas no Brasil com matéria-prima importada.

A Fiocruz já entregou 4 milhões de doses prontas da Covishield, que foram importadas da Índia, e importará mais 8 milhões de imunizantes. Divididos em lotes de 2 milhões, as vacinas começam a chegar no país somente em abril.

Questionado  sobre o motivo da mudança no cronograma, o Ministério da Saúde ainda não se manifestou sobre o assunto. Em nota, o órgão federal informa que é importante ressaltar que o PNI depende da entrega dos laboratórios para poder fazer o envio. “Portanto, o cronograma está sujeito a alterações”, disse a pasta.

Outra mudança que diminuiu o montante total esperado para março foi o recebimento de doses da vacina russa Sputnik V, que é negociada pelo Ministério da Saúde. Sem avançar nas negociações, a pasta mudou a previsão de receber 400 mil doses do imunizante de março para abril.

A maior parte das vacinas que vão compor o PNI em março ainda será disponibilizada pelo Instituto Butantan. De acordo com o ministério, 22,7 milhões de doses da CoronaVac serão entregues à pasta.

Pfizer e Janssen

Nessa quarta (3/3), o governo federal anunciou a compra de 138 milhões de doses das vacinas da Pfizer/BioNTech e da Janssen. Ainda em negociação, mas com a intenção de compra publicada no Diário Oficial da União (DOU), esses imunizantes só chegarão nos próximos meses ao Brasil.

Enquanto as 100 milhões de doses da Pfizer devem começar a chegar no país a partir de abril, as 38 milhões de vacinas da Janssen só estarão disponíveis para o Brasil a partir de julho.

Veja o cronograma de março da entrega de vacinas ao Ministério da Saúde:


Fundação Oswaldo Cruz (vacina AstraZeneca/Oxford)

> 3,8 milhões de doses (produção nacional com IFA importado)

Instituto Butantan (vacina Coronavac/Sinovac)

> 22,7 milhões de doses (produção nacional com IFA importado)

Precisa Medicamentos (vacina Covaxin/Barat Biotech/IND)

> 8 milhões de doses (importadas da Índia)

Covax Facility

> 2,9 milhões de doses (vacina importada da AstraZeneca/Oxford)

Total = 37,4 milhões de doses


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade