Publicidade

Estado de Minas GERAL

Governo de GO usa em campanha último áudio de paciente antes de morte por covid


27/02/2021 18:15

Em nova campanha de conscientização para o agravamento da pandemia, o governo de Goiás utilizou, nesta sexta-feira, 26, o último áudio de um paciente internado por complicações da covid-19 antes de morrer. Na gravação, Sandro Adrésio, que tinha 51 anos e era taxista, relata "momentos difíceis" e que contava com "um milagre de Deus". A mensagem termina com um pedido do governo goiano para que a população use máscara, álcool em gel e evite aglomerações.

A publicação do governo destaca que a mensagem é real e mostra o drama que milhares de famílias goianas estão vivendo neste momento. "Estamos na pior fase da pandemia. As novas variantes do coronavírus são mais agressivas e se espalham mais rápido. Mesmo abrindo leitos toda semana, nossos hospitais já estão no limite de sua capacidade. Não podemos ignorar as mais de mil mortes que estão sendo registradas todos os dias no Brasil. Chegou a hora de fazer a sua parte. Ao cuidar de si mesmo, você também protege quem você ama", diz o texto.

De acordo com os últimos dados do governo, só nas últimas 24 horas foram registrados 1.045 novos casos de pessoas infectadas e 31 mortes pelo coronavírus em Goiás. Onze regiões do Estado estão em situação crítica.

A plataforma de acompanhamento em tempo real da Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) informa que 89,65% dos leitos de UTI das redes pública e privada destinados a pacientes com covid-19 estão ocupados. Dos 541 leitos, 485 estão sendo utilizados. A situação é ainda mais grave em Goiânia, onde há uma ocupação de 112,90 % dos leitos de UTI geral e 92,49% para leitos de UTI destinados a pacientes acometidos pelo coronavírus.

Restrições de circulação devem ser anunciadas ainda neste sábado pelo prefeito de Goiânia, Rogério Cruz (Republicanos), e outros chefes do executivo da região metropolitana de Goiás para conter o avanço da covid-19. O anúncio ocorrerá no Palácio das Esmeraldas, sede do governo estadual, onde serão detalhados os decretos sobre o funcionamento e fechamento do comércio nas localidades.

Mesmo com a iminência de um colapso do sistema de saúde no Estado, o governo de Goiás diz que "apenas dará o suporte necessário às deliberações dos prefeitos" e que as medidas serão apresentadas por meio de decretos elaborados pelas prefeituras "e não pelo governador Ronaldo Caiado (Democratas)".

Em Goiás, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) informa que há 395.636 casos de covid-19 identificados e 8.510 óbitos confirmados. 247 mortes suspeitas estão em investigação.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade