Publicidade

Estado de Minas CORONAVÍRUS

Ministério da Saúde propõe novas diretrizes para isolamento social

Segundo o ministro Nelson Teich, caberá aos governos estaduais e municipais a adoção ou não dessas estratégias, que detalham cinco etapas de isolamento social


postado em 11/05/2020 19:09 / atualizado em 11/05/2020 22:13

Nelson Teich afirmou que novo documento prevê isolamentos mais brandos até o confinamento total (foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)
Nelson Teich afirmou que novo documento prevê isolamentos mais brandos até o confinamento total (foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

 

O Ministério da Saúde vai repassar a estados e municípios brasileiros estratégias de combate à COVID-19 no país. O documento com todas as diretrizes tem cerca de 40 páginas e será apresentado aos governos municipais e estaduais nesta terça-feira (12). O texto contém, por exemplo, novas recomendações para adoção de diferentes níveis de isolamento social. 

 

O documento é dividido em avaliação de riscos; medidas de distanciamento social; outros instrumentos de apoio à gestão; e painel de monitoramento. A íntegra da estratégia será apresentada à imprensa na quarta (13).

 

“A implementação ou não (das diretrizes) depende de estados e municípios. Mais importante que diagnóstico precoce, é tratar precoce. Se a gente conseguir isso, as unidades intermediárias vão precisar de pessoas menos especializadas. Simplifica tudo. É o principal objetivo dessa estratégia”, explicou o ministro da Saúde, Nelson Teich, em entrevista coletiva nesta segunda (11).

 

O ministro, apesar de admitir que o documento já está pronto, não quis dar mais detalhes sobre as diretrizes. Ele ressaltou que precisava, primeiro, pactuar as estratégias com os conselhos nacionais dos Secretários de Saúde (Conass) e de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems).

 

De acordo com Nelson Teich, as diretrizes detalham cinco padrões de isolamento social, que vão desde quarentenas menos restritas até o confinamento total, o chamado “lockdown”.

 

O encaixe de uma localidade a um dos padrões de isolamento social depende de quatro eixos: capacidade instalada (número de leitos e ventiladores, por exemplo); epidemiologia (número de casos e mortes, por exemplo); velocidade de crescimento; e mobilidade urbana.

 

Cada um desses eixos abriga diferentes indicadores, com pontuações de 0 a 4 cada. A capacidade instalada é a que mais interfere no resultado final, já que é representada por cinco indicadores: a pontuação dela, portanto, com todos os indicadores somados, vai de 0 a 20.    

 

(foto: Reprodução/Ministério da Saúde)
(foto: Reprodução/Ministério da Saúde)
 

 

Nelson Teich frisou, no entanto, que a adoção do lockdown ou de uma reabertura total depende, integralmente, dos governos locais: prefeitos e governadores.  

 

Com Agência Brasil


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade