Publicidade

Estado de Minas GERAL

Preso suspeito de furto de combustível que causou vazamento em duto da Transpetro


postado em 01/05/2019 19:20

A Polícia Civil prendeu na manhã desta quarta-feira, 1º de maio, um homem suspeito de participar da tentativa de furto de combustível que provocou um vazamento no duto da Transpetro na última sexta-feira, 26, em Duque de Caxias, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. O vazamento deixou pelo menos três pessoas feridas, entre elas uma menina de apenas 9 anos de idade, que teve 80% do corpo queimado. Ela permanece internada em estado grave.

Willian Cesar Vieira, de 21 anos, foi preso por agentes da Delegacia de Defesa de Serviços Delegados (DDSD) por participação na tentativa de furto de combustível no Parque Capivari, em Duque de Caxias.

Ele responderá na justiça por tentativa de homicídio qualificado, furto duplamente qualificado, constituição de milícia privada, crime contra a ordem econômica e crime contra o meio ambiente, informou a Polícia Civil, em nota. O mandado de prisão temporária foi expedido no Plantão Judiciário.

Segundo a Polícia Civil, as investigações indicam que o crime foi praticado por uma quadrilha de milicianos que atua na região. Na ocasião da tentativa de furto, o combustível em alta temperatura jorrou a uma altura de 10 metros. Moradores tiveram que deixar suas casas às pressas e houve danos ao meio ambiente.

Vieira foi preso em casa, no bairro de Xerém. Ele foi localizado graças a informações obtidas a partir de uma motocicleta dele, que foi abandonada no local do crime.

Segundo o delegado Júlio Filho, titular da DDSD, as investigações miram identificar agora os demais participantes do furto.

A Transpetro, subsidiária da Petrobras responsável pelo transporte de combustíveis, divulgou nota na segunda-feira, 29, informando que os profissionais da companhia estavam concentrados no recolhimento do produto vazado, na remoção do solo contaminado e no reparo no duto. Segundo a empresa, não há risco de desabastecimento de combustível na região.

"A análise sobre o impacto ambiental, proveniente do furto de combustível, ocorre após o término da fase emergencial da contingência", acrescentou a Transpetro, na nota.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade