Publicidade

Estado de Minas

Morre bebê de seis meses vítima de maus-tratos; pais estão presos

Após a confirmação de morte cerebral, corpo da criança seguiu para o Instituto de Medicina Legal (IML) para exames de corpo delito


postado em 03/11/2018 15:07

(foto: Reprodução)
(foto: Reprodução)

A bebê de seis meses que teria sido vítima de uma série de maus-tratos dos próprios pais morreu na noite dessa sexta-feira (2/11), no Distrito Federal. Desde terça-feira (30/10) médicos do Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib) faziam os testes para confirmação da suspeita de morte cerebral. Esther de Araújo Costa passou por três exames e o último, feito por um neurologista, confirmou o diagnóstico. Os aparelhos foram desligados por volta das 23h20.

O corpo da pequena seguiu para o Instituto de Medicina Legal (IML) para exame de corpo delito. Os testes serão feitos para confirmar as agressões e os maus-tratos sofridos pela criança.
 
Abalado, o único tio da criança que acompanhou a bebê no hospital desabafou: “Acabou o sofrimento. A minha filha foi morar com Deus”, desabou o homem de 37 anos. Ele é irmão do pai da menina, preso desde segunda-feira (29/10), suspeito de agredir a filha, assim como a companheira.

A morte encefálica — ou cerebral, como é popularmente chamada — significa que as funções do cérebro foram terminadas de maneira irreversível. É a definição legal de morte e, uma vez constatada, ficam autorizados procedimentos como a doação de órgãos.
 
Múltiplas fraturas
Na sexta-feira, um ofício encaminhado pelo diretor do Hmib à Polícia Civil confirmou que Esther “apresentava sinais clínicos sugestivos de maus-tratos infantis, com múltiplas fraturas e queimaduras em face". A criança respirava com a ajuda de aparelhos.

Os pais da criança estão presos desde terça-feira (30/10), acusados de maus-tratos, com aumento de pena pelos agravantes de lesão corporal grave e pelo fato da vítima ser menor de 14 anos. Em audiência de custódia, a Justiça determinou a prisão preventiva deles.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade