Publicidade

Estado de Minas

Três em cada 10 paulistanos conhecem o novo prefeito de SP, aponta Datafolha


postado em 18/04/2018 13:48

São Paulo, 18 - Três em cada dez residentes de São Paulo sabem quem é o atual prefeito da capital paulista. Pesquisa Datafolha realizada na semana passada mostra que Bruno Covas (PSDB) - eleito vice-prefeito em 2016 e novo chefe do Executivo municipal no lugar de João Doria (PSDB) - é mais conhecido entre homens ricos de 60 anos ou mais.

O levantamento questionou 1.031 eleitores da capital paulista entre quarta-feira, 11, e sexta-feira, 13, sobre quem é o prefeito de São Paulo, sem apresentar nomes.

Do total, 25% responderam o nome do atual prefeito. Outros se referiram a ele por meio de alcunhas como "Covas" (2%) ou "neto do Covas" (3%). Bruno, neto do ex-governador Mario Covas, foi vice-prefeito até o dia 6 de abril, quando assumiu a Prefeitura.

Dos entrevistados, 62% disseram não saber informar quem comanda a cidade ou deram respostas equivocadas (2% responderam "João Doria", por exemplo).

O nome de Covas foi mais lembrado entre homens (38%) do que entre mulheres (23%). O novo prefeito também é mais conhecido entre a fatia rica do eleitorado paulista: 64% dos que sabem quem é o novo prefeito recebem mais de 10 salários mínimos.

Em relação à expectativa sobre a gestão Covas, a maioria (40%) espera uma administração regular. Estão otimistas, aguardando um governo ótimo ou bom, 27%. Já 20% do eleitorado acreditam que a gestão do tucano será ruim ou péssima.

A maioria dos moradores de São Paulo (60%) acredita que a saída de Doria não fará diferença para a cidade, nem prejudicando, nem beneficiando o município.

Renúncia

Outra pesquisa Datafolha mostrou esta semana que a maioria dos eleitores da capital reprova a saída de Doria. Para 66% do eleitorado paulistano, o tucano agiu mal ao deixar a Prefeitura. Outros 28% concordaram com a decisão, e 6% não souberam responder. Além disso, sobre a gestão, 47% dos paulistanos avaliam os 15 meses de Doria à frente do Executivo municipal como péssimos ou ruins.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade