Publicidade

Estado de Minas

Motor superaquece e avião da AA que ia para Nova York retorna ao Rio


postado em 04/08/2017 11:07

São Paulo, 04 - Um avião da American Airlines (AA) que saia do Rio de Janeiro com destino a Nova York na noite desta quinta-feira, 3, teve falha mecânica em um dos motores e precisou voltar para o Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão). O voo AA 974, que decolou às 21h30 do Rio, estava sobrevoando Brasília quando o piloto percebeu o super aquecimento de um dos motores e decidiu voltar ao aeroporto de base.

Diogo Guedes, de 24 anos, estava no voo e relatou à reportagem que os primeiros indícios de que o avião estava alterando a rota foram vistos na tela de cada poltrona, que permite ao passageiro acompanhar o trajeto da aeronave. Até então a tripulação não havia se pronunciado sobre alterações. Já por volta de 1h desta sexta-feira, 4, o piloto informou aos passageiros que em 20 minutos o avião, um Boeing 777-300, pousaria no Galeão. "Estamos com um problema na turbina", disse.

Os passageiros também foram informados de que, quando pousassem, estariam na pista viaturas da ambulância, Corpo de Bombeiros e polícia. "Mas não se preocupem, esse é um procedimento de segurança normal", disse o piloto. O pouso ocorreu normalmente.

Guedes relatou que assim que os passageiros chegaram ao saguão do aeroporto, havia uma equipe da American Airlines preparada para encaminhar passageiros para hotéis, organizar transporte de táxi custeados pela empresa e remarcar o voo.

O avião passou por manutenção e fará um voo extra às 20h desta sexta. Guedes conta que alguns passageiros embarcarão no voo, mas outros, como ele, optaram por voar no horário padrão, das 21h30. "Prefiro não viajar neste avião que já teve falhas", contou.

A cantora Elza Soares também estava no avião, e em entrevista ao "Bom Dia Rio", da TV Globo, disse: "Estava no voo. E na hora do aviso eu fiquei, meio que, sei lá, paralisada. Não sei se tive medo, não sei o que é que eu tive, só sei que tive uma sensação muito estranha. Teve gente que chorava muito, teve gente que, entendeu, ficou calma. Eu pude manter a calma".

(Sara Abdo)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade