UAI
Publicidade

Estado de Minas TEERÃ

Irã aceita substituir câmeras danificadas da central nuclear de Karaj


15/12/2021 13:52 - atualizado 15/12/2021 13:55

O Irã aceitou que a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) substitua as câmeras danificadas na usina nuclear de Tesa, na cidade de Karaj - anunciaram várias agências iranianas.

Até agora, a rejeição do Irã vinha prejudicando o avanço das negociações de Viena sobre o programa nuclear, retomadas em 29 de novembro entre Teerã, Rússia, Alemanha, Reino Unido, França e China.

"Em um gesto de boa vontade, o Irã autoriza a instalação de novas câmeras, por parte da AIEA, para substituir as que foram danificadas durante uma operação de sabotagem", na central nuclear de Karaj, informou a agência de notícias Nournews, considerada próxima ao Conselho Nacional de Segurança.

"É uma ação voluntária do Irã para acabar com os mal-entendidos em suas relações com a AIEA", afirmou o conjunto de agências iranianas.

Em um comunicado, a AIEA confirmou que "após um acordo nesta quarta-feira entre o secretário-geral do a agência Rafael Mariano Grossi e o chefe da Organização Iraniana de Energia Atõmica, Mohamed Eslami", a entidade internacional instalará "novas câmeras em breve nas instalações de Karaj, que fabrica centrífugas";

O Irã anunciou que frustrou, em 23 de junho, uma operação de "sabotagem", na qual foram danificadas as câmeras de uma instalação de sua organização de energia atômica, em Tesa. Teerã afirma ter aberto uma investigação.

"O Irã autoriza a AIEA a substituir as câmeras danificadas por outras novas, após concluir a investigação de segurança e pela condenação deste organismo da sabotagem no complexo de Tesa, e também aceitará sua inspeção técnica", explicaram as agências iranianas.

Grossi afirmou que "é um desenvolvimento importante para o trabalho de verificação e monitoramento da AIEA".

"Espero sinceramente que possamos continuar as discussões construtivas para resolver todas as questões de garantias suspensas no Irã", acrescentou.

A agência Nournews lembrou que, em virtude de uma lei votada pelo Parlamento iraniano, "as imagens gravadas pelas novas câmeras não serão entregues à AIEA, como era feito com as imagens das câmeras anteriores, e serão guardadas pela Organização Iraniana da Energia Atômica".

A República Islâmica do Irã acusou Israel, várias vezes, de atos de sabotagem contra algumas de suas instalações nucleares. Já Israel acusa Teerã, há anos, de buscar desenvolver uma arma nuclear, algo que o Irã nega.

Em 23 de novembro, o diretor-geral da AIEA viajou para Teerã para tentar resolver o problema das câmeras de vigilância, afirmando que essa é uma "questão muito, muito importante".

Ele declarou que se as quatro câmeras danificadas não fossem substituídas, isso "afetaria seriamente a capacidade de vigilância", o que classificou como "algo essencial para retomar o acordo nuclear".


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade