Publicidade

Estado de Minas WASHINGTON

EUA querem relacionamento "positivo" com a Turquia, mas alertam sobre possíveis sanções


28/04/2021 18:24

O chefe da diplomacia dos Estados Unidos, Antony Blinken, expressou nesta quarta-feira (28) esperança de melhorar as relações com a Turquia, apesar do reconhecimento de seu país do genocídio armênio, mas renovou os avisos de sanções se Ancara mantiver um sistema de defesa aérea adquirido da Rússia.

"Devemos à Turquia o respeito por declarar nossas divergências de forma clara, direta e honesta, como esperamos e antecipamos o mesmo da Turquia", disse Blinken em uma mesa redonda sobre liberdade de imprensa internacional, em resposta a uma pergunta de um jornalista turco.

No sábado, o presidente dos EUA, Joe Biden, desafiou décadas de pressão turca e classificou os assassinatos em massa de armênios pelo Império Otomano como "genocídio", levando Ancara a convocar o embaixador dos EUA.

Blinken observou que Joe Biden comunicou a decisão ao presidente turco Recep Tayyip Erdogan por telefone para que "não houvesse surpresas", e concordou em se encontrar com ele em junho em paralelo a uma cúpula da Otan.

"Estou muito esperançoso de que possamos encontrar um caminho positivo a seguir", disse Blinken, expressando sua esperança de que os dois países trabalhem "juntos" e aprofundem sua cooperação.

Biden já chamou Erdogan de autocrata e as relações já haviam sido prejudicadas desde que a Turquia, membro da Otan, comprou sistemas de defesa aérea S-400 da Rússia, o principal adversário da aliança.

Os Estados Unidos pediu repetidamente para que a Turquia se livre dos S-400, considerando a compra uma decisão "perigosa", para a qual apoiou uma lei aprovada pelo Congresso em 2017 que impõe sanções contra terceiros países por compras "significativas" de armas russas.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade