Publicidade

Estado de Minas BARCELONA

Separatistas catalães reforçam maioria no Parlamento regional (resultados parciais)


14/02/2021 19:00

Os partidos separatistas catalães renovaram a maioria no Parlamento desta região espanhola neste domingo (14), após eleições marcadas pela pandemia, segundo resultados provisórios, que colocam os socialistas do presidente espanhol Pedro Sánchez ligeiramente à frente.

Com mais de 70% dos votos apurados, os socialistas aparecem na primeira colocação, com 23,6% e 33 cadeiras, mas dificilmente conseguirão desbancar do poder os independentistas, que governam desde 2015 esta rica região de 7,8 milhões de habitantes situada no norte da Espanha.

Três anos após a tentativa fracassada de secessão de outubro de 2017 e apesar das fortes divisões internas, os três partidos separatistas passarão de 70 para 74 assentos dos 135 no Parlamento regional.

Atrás dos socialistas, liderados pelo ex-ministro da Saúde Salvador Illa, o partido separatista ERC (21,35%), representando a ala mais moderada do movimento, manteve o mesmo número de assentos.

Este partido, aliado ao executivo minoritário de Sánchez no Congresso espanhol, conseguiu alavancar seus parceiros de governo em Barcelona, o Juntos pela Catalunha (19,6%, 32 cadeiras), partido do ex-presidente Carles Puigdemont.

Junto com o partido radical CUP (6,6%, 9 assentos), esses três partidos podem entrar em acordo por um governo separatista se forem capazes de superar suas diferenças mostradas nos últimos anos.

Na quarta posição, o partido de extrema direita Vox (7,8%) entra pela primeira vez no Parlamento regional catalão, superando claramente os dois grandes partidos de direita a nível nacional, o Partido Popular (3,8%) e o Cidadãos (5,6% ).

A disputa política foi parcialmente eclipsada pela pandemia, que condicionou as eleições realizadas entre uma forte implantação de medidas sanitárias (máscaras, distanciamento, álcool em gel, controle de capacidade ...) e nas quais infectados puderam votar pessoalmente.

O temor de contágio diminuiu a participação, que, até os dados finais, teria ficado abaixo de 60%, 20 pontos abaixo do registrado nas eleições anteriores de dezembro de 2017.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade