Publicidade

Estado de Minas LONDRES

Partidários de Julian Assange pedem a Joe Biden que desista do julgamento contra ele


09/02/2021 16:45

Várias organizações de Direitos Humanos e liberdade de imprensa pediram ao governo do novo presidente americano, Joe Biden, que retire as acusações contra o fundador do WikiLeaks, Julian Assange, em uma carta divulgada nesta terça-feira (9).

O australiano, de 49 anos, está detido no Reino Unido enquanto aguarda um recurso contra a negação de sua extradição para os Estados Unidos.

A Justiça dos EUA quer julgá-lo por espionagem, como resultado da divulgação de mais de 700.000 documentos confidenciais sobre atividades militares e diplomáticas americanas, principalmente no Iraque e no Afeganistão, desde 2010.

Os signatários, 24 organizações incluindo Human Rights Watch, Anistia Internacional e Repórteres Sem Fronteiras, afirmam que a acusação "ameaça a liberdade de imprensa" e criaria um precedente que "criminalizaria" as práticas jornalísticas.

Assange foi processado durante a Presidência de Donald Trump, a quem os apoiadores de Assange haviam pedido em vão pelo seu perdão.

Sob o mandato de Barack Obama, que tinha Joe Biden como vice-presidente, a Justiça dos Estados Unidos renunciou a processar o fundador do WikiLeaks.

Há dez anos, Biden afirmou ver Assange mais como um "terrorista de alta tecnologia" do que como um herdeiro dos "documentos do Pentágono" que revelaram as mentiras dos Estados Unidos sobre a Guerra do Vietnã na década de 1970.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade