Publicidade

Estado de Minas

Michael Moore ecoa alerta do Uruguai sobre violência nos EUA


postado em 07/08/2019 16:01

O cineasta americano Michael Moore, famoso pelo seu ativismo político de esquerda e suas críticas às armas, ecoou o alerta do Uruguai aos seus cidadãos sobre a "crescente violência indiscriminada" nos Estados Unidos.

Moore divulgou um comunicado do Ministério das Relações Exteriores do Uruguai na noite de terça-feira em sua conta do Instagram, pedindo "precauções extremas". O texto foi publicado depois de dois ataques a tiros ocorrerem no fim de semana em El Paso (Texas) e Dayton (Ohio), deixando 31 mortos, três dias depois de que os Estados Unidos levantaram seu alerta de viagem para o Uruguai "devido a um aumento da delinquência".

O cineasta publicou o comunicado junto a comentários de um legislador democrata pelo estado norte-americano de Minnesota, tuitados na segunda-feira.

"Do congressista Dean Phillips (D-MN): 'O Uruguai emitiu hoje uma advertência de viagem a seus cidadãos que visitam os Estados Unidos, mencionando a 'crescente violência' alimentada pelo 'racismo e descriminação' que as 'autoridades americanas não podem evitar' devido à prosperidade 'indiscriminada' das armas. Prestem atenção nisso por um minuto", escreveu Moore.

O cineasta é famoso pelo documentário "Tiros em Columbine", vencedor do Oscar em 2003, no qual ele abordou os motivos do assassinato em uma escola de ensino médio em 1999 e investigou a cultura de venda e porte de armas nos Estados Unidos.

"As armas nos Estados Unidos sempre estão vinculadas à supremacia branca masculina", tuitou Moore na segunda-feira.

"Basta perguntar aos indígenas, aos escravos, aos estudantes de todas as partes, às mulheres maltratadas, a qualquer motorista negro, às vítimas do terror militar americano no país e no exterior, aos fiéis de uma igreja de Charleston ou aos clientes latinos em um Warlmart em El Paso", acrescentou.

O ataque a tiros de sábado em El Paso, cidade do Texas que faz fronteira com o México, deixou 22 mortos, sendo oito deles mexicanos, em um ataque que está sendo investigado pelas autoridades como um crime de ódio contra os imigrantes.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade