Publicidade

Estado de Minas

Justiça francesa ordena que bispo comunique caso de padre pedófilo à vítima


postado em 28/05/2019 10:55

A Justiça francesa ordenou nesta terça-feira (28) que um bispo entregue a uma vítima informações do caso de um padre condenado por pedofilia, em um processo civil contra a Igreja.

O tribunal de Bourg-en-Bresse, no leste da França, ordenou que o bispo da diocese de Belley-Ars, Pascal Roland, informe no prazo de 15 dias Jean-Yves Schmitt, um aposentado de 67 anos, "sobre o dossiê completo de Felix Hutin, em poder do bispado".

Esse ex-padre de 86 anos foi condenado civilmente em julho de 2015 por abuso sexual contra Schmitt durante sua infância em uma escola de Bourg-en-Bresse, onde o padre oficiava como capelão nos anos 1960. Os fatos prescreveram penalmente há muito tempo.

A vítima, que posteriormente também foi condenada por pedofilia, iniciou um processo judicial na França contra o Vaticano, acusando-o de ter transferido o padre para a Suíça na década de 1970, quando suas ações causaram escândalo na região.

Para mover esse processo, ele solicitou o dossiê à diocese de maneira "amigável". Diante da recusa do bispo, apresentou o pedido ao tribunal.

"Esta é uma novidade que facilitará a luta das vítimas contra os padres pedófilos, dando-lhes acesso a evidências muitas vezes ocultadas", comemorou o advogado da vítima.

"Acabamos de dar um grande passo. É um sinal de que as mentalidades estão mudando e que, a partir de agora, teremos uma política judicial de total transparência", acrescentou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade