Publicidade

Estado de Minas

ONU desmente ter obrigado advogado de Asia Bibi a deixar Paquistão


postado em 06/11/2018 16:25

A ONU desmentiu nesta terça-feira (6) ter obrigado o advogado da cristã Asia Bibi, absolvida na semana passada após ser condenada à morte por blasfêmia, a deixar o Paquistão.

Saiful Malook abandonou seu país no sábado rumo à Holanda depois de manifestações islamitas que paralisaram o Paquistão durante três dias, logo após a absolvição pela Suprema Corte.

Asia Bibi, de 50 anos, foi condenada em 2010 à pena de morte pelo crime de blasfêmia, depois de discutir com duas mulheres muçulmanas que não quiseram dividir um copo d'água com ela.

"A ONU no Paquistão auxiliou Malook em um pedido seu e não o forçou a abandonar o país contra a sua vontade, pois a ONU não pode obrigar ninguém a deixar o Paquistão contra a sua vontade", declarou Eri Kaneko, porta-voz das Nações Unidas.

Durante uma entrevista coletiva em Haia, Malook sustentou na segunda-feira que saiu de seu país pressionado por União Europeia e ONU, que temiam pela sua segurança.

"Os encarregados (da ONU) e os embaixadores das nações europeias em Islamabad me protegeram durante três dias e depois me colocaram em um avião contra a minha vontade", assegurou.

"Disse a eles que não abandonaria o país enquanto Asia não tivesse saído da prisão", insistiu. "Não estou feliz de estar aqui sem ela, mas todo mundo me disse que eu era o alvo principal e que o mundo inteiro estava preocupado com Asia Bibi", continuou o advogado.

O destino de Asia Bibi permanece incerto depois da apresentação de um recurso contra a sua absolvição. O governo paquistanês e os partidos muçulmanos extremistas chegaram a um acordo para deter a onda de manifestações contra a decisão judicial.

No sábado, antes de embarcar, Mulook havia assegurado à AFP que deixou seu país porque temia por sua vida: "na situação atual, não é possível continuar vivendo no Paquistão".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade