Publicidade

Estado de Minas

Alyev tem reeleição praticamente garantida no Azerbaijão


postado em 11/04/2018 06:00

Os azerbaijanos comparecem às urnas nesta quarta-feira para uma eleição presidencial antecipada, em que tudo aponta para a vitória e o quarto mandato de Ilham Aliyev na ex-república soviética.

Alyev, 56 anos, foi eleito pela primeira vez em 2003, após a morte de seu pai Geidar Aliev, um ex-oficial da KGB local que governou o Azerbaijão de 1969, no período soviética, até seu falecimento.

A reeleição é garantida porque os principais partidos de oposição se negaram a participar de eleições que consideram não democráticas e manipuladas pelo governo.

Os partidos opositores denunciaram a decisão de Ilham Aliyev de antecipar a eleição em seis meses, o que consideraram uma manobrar para encurtar a campanha e manipular o resultado.

"Em todas as eleições anteriores aconteceram fraudes e violações da lei eleitoral. Nesta acontecerá o mesmo", denunciou o líder do movimento opositor Natif Jafarli.

O Partido Novo Azerbaijão (YAP) nega as acusações e promete uma votação transparente.

Os outros sete candidatos na disputa são desconhecidos e alguns, inclusive, pediram votos para o atual presidente.

São "candidatos marionetes" escolhidos pelas autoridades para dar a impressão de disputa em uma eleição com resultado decidido de antemão, denunciou a oposição.

A oposição e os ativistas dos direitos humanos criticam Aliyev, mas seus partidários o elogiam por ter transformado e modernizado o país graças à receita dos combustíveis. O Azerbaijão é um importante fornecedor de gás para a Europa.

Aliyev rejeita as acusações de autoritarismo e de enriquecimento de sua família, que administra vários setores da economia.

Eleito em 2003, Ilham Aliyev foi reeleito em 2008 e 2013, sempre com índices elevados de votos: 75,38%, 87,34% e 84,54% respectivamente.

Em 2009, Aliyev conseguiu aprovar em um referendo uma mudança constitucional que permite a reeleição presidencial por um número ilimitado de mandatos.

Em 2016, um novo referendo ampliou a duração do mandato presidencial de cinco para sete anos.

O Conselho da Europa criticou as reformas que provocam "uma grande mudança no equilíbrio de poderes" e concedem ao presidente prerrogativas "sem precedentes".

Ilham Aliyev também é acusado de nepotismo. Sua esposa, Mehriban Aliyev, foi nomeada primeira vice-presidente em fevereiro de 2017 e seu filho, Geidar, é apontado como seu provável sucessor quando Aliyev decidir abandonar o poder.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade