Publicidade

Estado de Minas

SpaceX lança o foguete mais poderoso do mundo para voo de teste

Houve gritos e aplausos na base de Cabo Cañaveral, Flórida, quando o enorme foguete ligou seus 27 motores e se afastou, em meio a uma enorme nuvem, da mesma plataforma de lançamento da Nasa que serviu como base para as missões americanas Apollo à Lua há quatro décadas


postado em 06/02/2018 22:12 / atualizado em 06/02/2018 23:11

(foto: JIM WATSON / AFP)
(foto: JIM WATSON / AFP)

 

O foguete mais potente do mundo, o Falcon Heavy da SpaceX, decolou com sucesso nesta terça-feira (6) para seu aguardado voo de teste, com o carro Tesla vermelho do magnata Elon Musk a bordo, rumo a uma órbita próxima a Marte.


Houve gritos e aplausos na base de Cabo Cañaveral, Flórida, quando o enorme foguete ligou seus 27 motores e se afastou, em meio a uma enorme nuvem, da mesma plataforma de lançamento da Nasa que serviu como base para as missões americanas Apollo à Lua há quatro décadas.


"Uau, viram isso? Foi incrível", disse a comentarista da SpaceX, Lauren Lyons, enquanto os aplausos ressoavam no centro de controle.


Seu colega John Innsbrucker respondeu: "É tudo o que poderiam querer em um voo de teste".


Com o Tesla vermelho de Musk a bordo e um manequim vestido com traje espacial, o teste do enorme foguete capturou a atenção do mundo.


A transmissão ao vivo da SpaceX mostrou uma imagem do automóvel que viaja ao espaço com a frase "Não entrem em pânico" no volante, enquanto a canção "Space Oddity" de David Bowie tocava ao fundo.


- Asimov a bordo -


Depois do lançamento, Musk publicou um vídeo no Twitter, no qual se pode ouvir ele rindo enquanto a câmera atrás do manequim mostra o Tesla aparentemente em órbita em volta da Terra.


"Na verdade não parece real, é uma loucura", se ouve Musk dizer.


Ele depois postou outro vídeo mostrando "uma vista ao vivo de Starman", como chamou o manequim, com a mão no volante, atravessando o espaço escuro e com a imagem da Terra refletida na superfície vermelha do veículo.


O carro levou instaladas três câmeras, uma placa com os nomes dos 6.000 funcionários da SpaceX e uma unidade de alta capacidade de armazenamento com a série de livros de ficção científica de Issac Asimov "Trilogia da Fundação", que o autor americano de origem russa escreveu entre 1951 e 1953.


Se o Tesla sobreviver, poderá entrar na órbita Marte-Terra em volta do Sol, em uma viagem que poderia durar bilhões de anos, explicou a SpaceX.


- Um passo gigante -


Aos dois minutos de voo, dois foguetes propulsores se separaram e regressaram à Terra, aterrissando perfeitamente na vertical, um ao lado do outro, mostrou a SpaceX em uma transmissão ao vivo.


"Novo esporte olímpico, aterrissagem sincronizada", escreveu o astronauta da Nasa Randy Bresnik no Twitter.


Um terceiro propulsor deve pousar em uma plataforma marinha.


Segundo os especialistas, a Nasa está especialmente interessada neste lançamento, pois poderia considerar usar o Falcon Heavy para agilizar seus planos de voltar à Lua pela primeira vez desde 1972.


A agência espacial americana, além disso, depende da ajuda dos russos e de sua nave Soyuz para enviar homens ao espaço.


O administrador interino da Nasa, Robert Lightfoot, parabenizou a SpaceX por sua "tremenda conquista", enquanto o diretor da base espacial Kennedy Center, Bob Cabana, disse que o "lançamento exitoso de um novo veículo em seu primeiro voo é uma conquista significativa da qual podem estar orgulhosos".


- Grande capacidade de carga -


A SpaceX, que já reduziu significativamente os custos e revolucionou o ecossistema dos lançamentos espaciais ao conseguir trazer seus lançadores de volta à Terra, quer agora inaugurar uma nova era na conquista do espaço.


"Quando o Falcon Heavy subir, será o foguete atualmente em operação mais potente do mundo", disse a SpaceX antes do lançamento.


A companhia afirma que o Falcon Heavy "pode transportar o dobro de carga útil que o foguete operativo mais poderoso que existe, o Delta IV Heavy", por um terço do preço.


Segundo a United Launch Alliance, que opera os Delta IV, o custo de um lançamento é de 350 milhões de dólares.


Com sua potência, superada na história apenas pelo foguete Saturn V da Nasa que levou os astronautas das missões Apolo à Lua, o Falcon Heavy poderá pôr na órbita terrestre baixa até 63,8 toneladas, quase três vezes a carga que um Falcon 9 pode levar.


Contradizendo um comunicado da sua própria empresa, Elon Musk disse na segunda-feira que na verdade não será o Falcon Heavy, mas outro de seus projetos, o foguete "Big Fucking Rocket", que levará humanos à Lua ou a Marte.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade