Publicidade

Estado de Minas

Pentágono flexibiliza norma de porte de armas para militares nos EUA


postado em 22/11/2016 18:55

O Pentágono flexibilizou as normas que restringiam o porte de armas para as Forças Armadas em território americano após a chacina em Chattanooga em 2015, que deixou cinco militares mortos.

Os militares podem carregar armas em determinadas funções, mas a nova regra permitirá aos comandantes autorizar o porte de arma pessoal, segundo uma diretriz de 18 de novembro.

Os comandantes terão a faculdade de dar permissão a pessoas do Departamento de Defesa que fizerem o "requerimento do porte de arma de fogo particular (oculta ou à vista)" nas instalações governamentais para sua "proteção pessoal e não vinculada a seu desempenho em nenhuma atividade oficial", assinala a norma.

Em julho de 2015 um jovem inspirado na propaganda islâmica radical atacou um centro de recrutamento e um corpo de reservistas da Marinha em Chattanooga, Tennessee, deixando cinco militares mortos.

Eles estavam desarmados e foram assassinado por apenas um atirador.

Assim, Congresso pediu ao Pentágono que flexibilizasse as restrições sobre o porte de armas pelos militares.

Em 5 de novembro de 2009, o capitão Nidal Hasan, um psiquiatra do Exército de 39 anos e de origem palestina, abriu fogo na base Fort Hood no Texas, deixando 13 mortos e mais de 40 feridos antes de ser preso.

A nova regra não afeta as disposições sobre porte de armas por militares americanos em zonas de guerra.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade