UAI
Publicidade

Estado de Minas PATRIMÔNIO

Projeto visa recuperar Sítio Arqueológico do século XVIII em Itabirito

Obras têm orçamento de R$ 215 mil e previsão de serem estregues em janeiro de 2023. Projeto é da 1ª Promotoria de Justiça da Comarca da cidade


30/06/2022 16:20 - atualizado 30/06/2022 16:38

Ruínas do casarão
Local tem recebido visitas técnicas na últimas semanas para verificação do andamento das obras (foto: MPMG/Divulgação)
A 1ª Promotoria de Justiça da Comarca de Itabirito tem projeto para recuperação da cobertura das ruínas da Casa de Pedra Aredes, casarão do Sítio Arqueológico de Aredes, que data do século XVIII. Há um avanço de grau de degradação da antiga cobertura, que colapsou parcialmente, expondo alvenarias históricas às ações do tempo.

O projeto, contemplado em dezembro de 2021, tem orçamento para obras de aproximadamente R$ 215 mil e será custeado por termo de Ajustamento de Conduta (TAC) ajustado com a Gerdau Açominas S/A.

Fases do projeto


O projeto foi dividido em três fases. A primeira foi a revisão do projeto arquitetônico, limpeza e remoção de entulho dentro e no entorno da construção.

A segunda fase, que acontece atualmente, é a execução das obras de restauro. Serão instalados pilares que sustentarão o telhado, além de fundações de concreto armado, que não entrarão em contato com as alvenarias históricas.

Ainda como parte da segunda etapa, as estruturas da cobertura, de apoio e telhas serão instaladas, sendo todas elas metálicas, mas pintadas na cor de cerâmica para manter um visual harmônico com as ruínas. O acabamento será feito com instalação das partes elétrica, hidráulica e sanitárias.

Já a terceira e última fase, prevista para ser finalizada em janeiro de 2023, será de prestação de contas e divulgação do resultado.

Sítio Arqueológico de Aredes


Localizado em Itabirito, a 60 quilômetros de Belo Horizonte, o Sítio Arqueológico de Aredes é composto por três conjuntos de ruínas. Em seu auge, o local foi uma grande fazenda de produção de gado e alimentos, além de possuir lavras de ouro, que abasteciam Vila Rica, capitania que viria a se tornar a cidade de Ouro Preto.

O conjunto de ruínas do sítio arqueológico é formado pela residência da fazenda, da capela ou do oratório dedicado a São Sebastião, comércio, senzala, entre outras edificações. Todas as estruturas integram a Estação Ecológica de Aredes, por decreto estadual, há 12 anos.

A localização é importante para o município de Itabirito não apenas pelo seu valor histórico, como também por ser um local de recarga de água, inclusive abastecendo a comunidade de São Gonçalo do Bação, em Itabirito. A vegetação se situa na faixa de transição entre Mata Atlântica e Cerrado.

Os arredores do Sítio Arqueológico de Aredes também são considerados valiosos por se situarem entre o Monumento Natural da Serra da Moeda e a Área de Preservação Ambiental Sul (APA Sul), possuindo abundante fauna e flora.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade