UAI
Publicidade

Estado de Minas CRIME

COVID-19: médico pode ser suspenso por atestar falsas comorbidades

Polícia Civil de Formiga apurou que profissional da saúde atestava condições que pacientes não possuíam, para burlar esquema da vacina contra COVID-19


20/01/2022 16:33 - atualizado 20/01/2022 20:17

A cidade de Formiga
A revelação da venda de falsos formulários de comorbidade causou indignação na população de Formiga (foto: Minasgerais.com.br)

A Polícia Civil de Formiga, na Região Centro-Oeste do estado, pediu à Justiça o impedimento do exercício de profissão de um médico, que estaria forjando formulários para facilitar a vacinação contra a COVID-19.

O procedimento foi enviado nesta quinta-feira (20/1) ao Poder Judiciário. 


Os investigadores  obtiveram provas de que o suspeito estaria cobrando R$ 50 de pacientes para atestar comorbidades que eles não possuíam, de forma a conseguir a imunização mais rápido no início da pandemia.


Foram realizadas buscas no consultório do médico, onde os policiais apreenderam a agenda e o celular da secretária do investigado, e nestes constava o número de formulários entregues.


Os policiais ouviram, também, um grande número de testemunhas dos crimes. O pedido de suspensão é baseado nos termos do artigo 319, inciso VI, do Código Penal.


 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade