Publicidade

Estado de Minas PRISÃO EM FLAGRANTE

Jovem é detida pela PF recebendo notas falsas nos Correios de Uberaba

Em 10 dias, este foi o segundo crime da mesma natureza na cidade; PF investiga a origem de notas ilegais


05/08/2021 16:51 - atualizado 05/08/2021 16:59

A jovem de 19 anos foi flagrada pela PM retirando nos Correios envelope com 20 notas falsas de R$ 50 (foto: WhatsApp/Divulgação)
A jovem de 19 anos foi flagrada pela PM retirando nos Correios envelope com 20 notas falsas de R$ 50 (foto: WhatsApp/Divulgação)
 
A Polícia Federal (PF) de Uberaba prendeu uma jovem de 19 anos em agência dos Correios da cidade na tarde desta quarta-feira (4/8), quando ela foi flagrada recebendo uma correspondência com 20 notas falsas de R$ 50,00, totalizando o valor de R$ 1 mil.
 
 
Ela foi encaminhada, juntamente com o material apreendido, para a Delegacia da PF de Uberaba, que investiga de onde partiu a correspondência ilegal, bem como quem são os responsáveis pela fabricação das notas falsas.
 
Segundo informações da PF de Uberaba, a ação foi realizada em conjunto com os Correios, que após suspeitar da postagem, acionou os policiais federais, que monitoraram a entrega da encomenda. A prisão da jovem aconteceu no momento em que ela guardava o envelope com as notas falsas.
 
Ela foi indiciada pelo crime de moeda falsa, previsto no artigo 289 do Código Penal, que diz que quem falsificar, fabricar ou alterar moeda metálica ou papel-moeda de curso legal no país ou no estrangeiro pode sofrer pena de três a 12 anos de reclusão, e multa. As mesmas penas podem ser aplicadas para quem, por conta própria ou alheia, importa ou exporta, adquire, vende, troca, cede, empresta, guarda ou introduz na circulação moeda falsa.
 
Homem foi preso em Uberaba no início da semana passada com R$ 3 mil em notas falsas
 
A Polícia Federal (PF) prendeu no dia 26 de julho (segunda-feira), também em flagrante e em agência dos Correios de Uberaba, um homem de 28 anos no momento em que ele recebia correspondência contendo R$ 3 mil em notas falsas de R$ 100 e R$ 200.
 
Trabalhos desta natureza evitam, conforme a PF, a circulação de cédulas falsas no mercado e possibilita a identificação de falsificadores e/ou financiadores de organização criminosa, além de evitar impacto negativo ao sistema monetário brasileiro e à economia nacional, pois a circulação de cédulas falsas, além de prejudicar o comércio, tem impacto no aumento da inflação e na desvalorização da moeda nacional.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade