Publicidade

Estado de Minas MOTOR DA ECONOMIA

Minas tem 2 milhões de pequenos negócios, maior parte no comércio e serviços


postado em 16/09/2018 10:07 / atualizado em 16/09/2018 12:53

Fábrica de doces Papa de Anjo, em Belo Horizonte: as MPEs são a base da atividade econômica no Brasil(foto: Pedro Vilela/Agência i7)
Fábrica de doces Papa de Anjo, em Belo Horizonte: as MPEs são a base da atividade econômica no Brasil (foto: Pedro Vilela/Agência i7)

Elas estão por toda parte, e atendem a quase todos os setores da economia. Segundo o Sebrae, os empreendimentos individuais, as micro e pequenas empresas e produtores rurais respondem por mais de 90% do número de empresas formais no Brasil. Em Minas Gerais, são 2 milhões de pequenos negócios (destes, 700 mil microempresas e 42 mil pequenas empresas). São a base da atividade econômica brasileira. Ainda que representem entre 25% e 30% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional, geraram a maioria dos empregos em 2017 e 2018.

Levantamento do Sebrae a partir de dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) mostra que as micro e pequenas empresas mineiras contrataram mais de 87 mil pessoas em 2017. Foram responsáveis pela primeira oportunidade de emprego para a maioria (61%) do total de 143 mil pessoas que assinaram a carteira de trabalho no ano passado. De acordo com os dados, os pequenos negócios no estado geraram a primeira oportunidade de emprego para 87.168 trabalhadores, sendo 46.978 homens e 40.190 mulheres.

As MPE mineiras geraram 31.128 empregos a mais que as médias e grandes empresas (MGE) no período. “Minas teve ainda o segundo maior percentual de contratações de trabalhadores em seu primeiro emprego na Região Sudeste”, afirma a analista do Sebrae Minas Bárbara Alves.

PRIMEIRO EMPREGO Ainda segundo o levantamento, no país, 69,5% das 755,5 mil pessoas que foram contratadas pelas MPE e que tiveram a carteira assinada, pela primeira vez, em 2017, eram jovens com até 24 anos de idade. Além disso, mais da metade dos trabalhadores que se iniciaram no mercado de trabalho (56%), por meio dos pequenos negócios, em 2017, tinha ensino médio completo.

As micro e pequenas empresas atendem a diversos setores, compreendendo vários graus de gestão que as tornam a atividade econômica mais resiliente à crise. Essa diversidade faz com que a economia se sustente numa base mais estável, explica Felipe Brandão, gerente da unidade de inteligência empresarial do Sebrae Minas.

O ambiente empreendedor é rico no momento em que gera alternativas de renda, sustento e criação de novas tecnologias e oportunidades. Seja quando o mercado está em perspectiva positiva ou quando está em baixa, atesta o gerente do Sebrae, mas não depende exclusivamente do talento individual do empresário. São necessários ambientes de negócios, leis, infraestrutura, questões básicas que deem segurança para que as pessoas busquem alternativas e coloquem seus investimentos, que às vezes são suas economias de uma vida inteira, na criação de um novo negócio.

Os principais setores econômicos envolvidos nas micro e pequenas são comércio e serviço, nos quais a mão de obra se apresenta com maior intensidade do que capital. São bancos geradores de empregos. O fato de ser comércio e serviço exige que essas micro e pequenas empresas tenham maiores cuidados com sua gestão por ser mais suscetíveis à crise de conjuntura. A perda de empregos e rendimentos afeta diretamente o mercado de micro e pequenas empresas, especialmente o de serviços. Muitos deixam de fazer refeições fora do lar, de consumir e utilizar a prestação de serviços.

Para estabelecer um empreendimento é fundamental o planejamento, entender por que e qual negócio está abrindo e quem são os concorrentes, recomenda o gerente do Sebrae. A estruturação de um plano não precisa ser formal, mas é necessário tirar ideias da cabeça e colocá-las no papel. Do lado formal, é importante buscar orientação especializada, porque varia por setores. Procurar a Junta Comercial, ver a viabilidade de abertura da empresa, observar se há outras com o mesmo nome, providenciar alvará de funcionamento na prefeitura, e registro de inscrição estadual na Secretaria da Fazenda.

Negócios com localização física definida precisam de alvará do Corpo de Bombeiros. Empresas do setor de saúde ou alimentação, de alvarás da Vigilância Sanitária. Há vários serviços, inclusive o Sebrae, que orientam precisamente, para cada tipo de negócio, os elementos necessários para abrir uma empresa formal.

Características 

» No comércio e serviço
Micro: até 10 empregados
Pequena: entre 10 e 19 empregados

» Na indústria 
Micro: até 50 empregados
Pequena: até 99 empregados

* O faturamento a partir de R$ 3,6 milhões ao ano eleva o patamar de pequena para média

» As MPEs mineiras contrataram mais de 87 mil pessoas em 2017

» Os pequenos negócios mineiros geraram 31.128 empregos a mais que as médias e grandes empresas

» As MPEs geraram a primeira oportunidade de emprego para 87.168 trabalhadores

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade