Publicidade

Estado de Minas CHAVE DO SUCESSO

Inovação é o diferencial no desempenho das MPEs

Startups se destacam no cenário empreendedor


postado em 16/09/2018 09:50 / atualizado em 16/09/2018 12:53

Valéria Molina, diretora de marketing da GoDaddy Brasil, explica que uma das vantagens de ser pequeno é a possibilidade deinovar(foto: GoDaddy Brasil/divulgação)
Valéria Molina, diretora de marketing da GoDaddy Brasil, explica que uma das vantagens de ser pequeno é a possibilidade deinovar (foto: GoDaddy Brasil/divulgação)

A inovação é o principal fator competitivo de qualquer negócio e, principalmente, das micro e pequenas empresas (MPEs), que não têm ganho em escala. Se não conseguem fazer a diferença no modelo de negócio, no aperfeiçoamento de seu processo, no produto, ou na estratégia de marketing, terão dificuldades em sobreviver, uma vez que em preço a pequena empresa raramente consegue competir.

Nos últimos anos, o movimento de inovação ganhou força no Brasil, com destaque para as startups. Minas Gerais é o segundo maior polo desse modelo de negócios do país: concentra 12% das empresas do segmento, de acordo com levantamento da Associação Brasileira de Startups (ABStartups). No Sul de Minas, há 57 startups, 9,8% do total do estado, grande parte concentradas nas microrregiões de Alfenas, Itajubá, Lavras, Santa Rita do Sapucaí, Varginha.

As startups são empresas em fase inicial, que desenvolvem produtos ou serviços inovadores com potencial de rápido crescimento. Normalmente, há base tecnológica e o modelo de negócio pode ser facilmente replicado sem aumento proporcional dos custos. Já os ecossistemas de inovação são representados pelos ambientes nos quais tais empresas estão inseridas, formando uma cadeia que reúne aceleradoras, entidades de apoio, incubadoras, universidades, grupos organizados de investidores, movimentos locais e startups – todos que contribuem direta e indiretamente para o desenvolvimento das empresas.

Inovação se faz com gente, conhecimento, mercado e equipe de boa qualidade. A startup é um estágio inicial que está testando uma hipótese de inovação, uma fórmula de muito baixo custo e com a capacidade de fazer junto com o mercado. “A capacidade de errar muito rápido, e isso não é só para startup, tem que ser aprendida por toda empresa. Quanto mais rápido errar e corrigir o erro, fica mais barato. A lógica da inovação é fazer mais com menos e fazer o certo e diferente. Não adianta aumentar a produtividade de um segmento que vai acabar, como, por exemplo, investir em cadeias de aluguel de videolocadora diante da chegada de uma Netflix”, explica Carla Ribeiro, analista de inovação do Sebrae Minas.

Uma das vantagens de ser pequeno é a possibilidade de inovar, começando devagar, porque as pequenas empresas podem testar uma tecnologia nova de cada vez, comparar os resultados, enxergar os pontos de partida e chegada dessas pequenas transformações, explica Valéria Molina, diretora de marketing da GoDaddy para o Brasil, empresa registradora de domínios e hospedeira de sites, com aproximadamente 17 milhões de clientes e mais de 6 mil funcionários em todo o mundo.

ESTRATÉGIA O protagonismo pode ser a chave da prosperidade de um negócio. Foi o “click” do empresário André Capelão, da Ormiloc (locadora de equipamentos). André trabalhou por muitos anos com a produção de eventos, e percebeu que havia um vazio no mercado de locação de freezer para esse ramo de negócios. Em 2007, uniu-se a outros sete sócios e começou a locar esses equipamentos. O primeiro passo foi escolher um local estratégico, o Barro Preto, na Região Centro-Sul de BH, em ponto onde há diversas empresas de venda desses maquinários. “Fui desenvolvendo amizade com vendedores que indicavam minha empresa a clientes que necessitavam desses equipamentos temporariamente.”

O negócio cresceu muito, uma vez que era “novidade” no mercado, com concorrentes apenas em São Paulo. O sucesso fez com que Capelão aos poucos fosse comprando a parte dos demais sócios e hoje tem uma pequena empresa que fatura, em média, R$ 120 mil mensalmente, e emprega 10 funcionários. “O mercado é carente desse tipo de locação. O crescimento do mercado de eventos gastronômicos, que tornaram a capital mineira referência, impulsionou o empreendimento.” Capelão atendeu à demanda de freezer durante a Copa do Mundo de Futebol, em 2014, e as Olimpíadas, em 2016. Hoje, a empresa se encontra capacitada a atender qualquer porte de eventos. “Atendo a shows e eventos de futebol no Mineirão e até a demandas de outros estados, com máquinas que podem ser grandes freezers, geladeiras ou mesmo frigobar instalados em camarotes de artistas que vêm se apresentar na cidade.”

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade