Publicidade

Estado de Minas

Minas Gerais tem sete dias de luto pela morte de Alencar


postado em 29/03/2011 17:51 / atualizado em 29/03/2011 19:57

O governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia, decretou sete dias de luto oficial no Estado pela morte do ex-vice-presidente José Alencar. Ele faleceu nesta terça-feira, em São Paulo, em decorrência de câncer e de falência múltipla de órgãos.

Governador Antonio Anastasia decretou luto oficial pela morte de Alencar(foto: Wellington Pedro/Imprensa MG.)
Governador Antonio Anastasia decretou luto oficial pela morte de Alencar (foto: Wellington Pedro/Imprensa MG.)
O corpo de Alencar será velado na quarta-feira, em Brasília, no Palácio do Planalto, e na quinta-feira em Belo Horizonte, no Palácio da Liberdade. A família ainda vai decidir se ele será cremado ou enterrado. O corpo do ex-vice-presidente deverá chegar a Brasília por volta das 8h30 na Base Aérea e será recebido com honras militares. De lá, ele será levado pelo Corpo de Bombeiros até o Palácio do Planalto, onde será carregado pela guarda presidencial. O velório será iniciado às 10h30 e será aberto ao público. Desde 1997, Alencar lutava contra um câncer que se iniciou no rim e depois se espalhou para outros locais do corpo, como a próstata e o abdôme. O ex-vice-presidente passou por mais de 15 cirurgias durante o tratamento, sendo que a mais complexa delas, em 2009, demorou 17 horas. Desde o final de 2010, o estado de saúde de Alencar se agravou, provocando uma rotina de internações constantes e interrupções no tratamento quimioterápico que ele fazia há vários anos. Mesmo com um estado de saúde debilitado, Alencar manteve o bom humor em seus últimos meses de vida. Nascido em 17 de outubro de 1931, no distrito de Itamuri, em Muriaé, Zona da Mata de Minas Gerais, Alencar começou sua carreira de empresário aos 14 anos, como vendedor. Sua grande obra foi a fundação da Companhia de Tecidos Norte de Minas (Coteminas), que lhe rende o status de um dos empresários mais bem sucedidos do estado. Alencar foi presidente da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg) entre 1989 e 1995. Sua primeira investida na política foi em 1994, quando se candidatou a governador do estado.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade