Publicidade

Estado de Minas #ESSAÁGUANÃOÉSÓSUA »

Copasa pode adotar linha dura contra o gasto excessivo de água em Minas

Em caso extremo de falta de água, Copasa tem as opções de sobretaxar consumo, implantar o racionamento e punir com multa quem desperdiça


postado em 25/01/2015 06:00 / atualizado em 25/01/2015 07:24


A soma de falta de chuva, desperdício e alto consumo levou a um cenário impensável há até pouco tempo. Permanecendo esse quadro, a Região Metropolitana de Belo Horizonte terá água por apenas mais quatro meses. A população deverá cortar o consumo em 30% e, se as providências de emergência adotadas pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) não surtirem efeito, poderá haver sobretaxa na conta, rodízio e racionamento, medidas adotadas desde ao ano passado em cidades do interior do estado. Nesses municípios, bastou doer no bolso para atitudes mudarem. No momento de crise máxima, Minas segue exemplo de outras unidades da federação, como São Paulo, e até de outros países.


Em Santo Antônio do Monte, no Centro-Oeste de Minas, houve rodízio na distribuição de água. Semanalmente, a Copasa divulgava o cronograma do racionamento pelos bairros da cidade, que, quando afetados, tinham fornecimento por 24 horas e ficavam sem água por 48 horas. A prefeitura ameaçou multar quem desperdiçasse o líquido, e o projeto de lei para instaurar a medida mais drástica acabou não indo para a frente, porque as ações adotadas supriram a necessidade de racionamento e redução, tanto que, desde novembro, o rodízio está suspenso.


Em Oliveira, na mesma região, a multa foi adotada em março do ano passado, muito antes de a crise chegar ao máximo. Ninguém chegou a ser multado, mas a ameaça teve resultados positivos. “São três etapas. Primeiro, há notificação pelo desperdício e, em caso de reincidência, o consumo é interrompido por 24 horas. Então, nesse ponto, a pessoa já se resguarda de receber a autuação e o desperdício é controlado. Mas não descartamos a hipótese da multa de meio salário mínimo (R$ 394) em momento algum”, afirma o assessor de comunicação do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE), Romer Castanheira. No total, foram emitidas 150 notificações, fruto dos vídeos e fotos postados no Facebook do órgão e das denúncias feitas via telefone.


Em Pará de Minas, o rodízio foi adotado este mês e a situação se complicou na semana passada. Apesar de escalas de abastecimento que valem para a cidade toda, moradores reclamam que, na periferia, a água não chega. Já moradores de bairros nobres estão perfurando poços artesianos para garantir o líquido. O município tem, ao lado de Urucânia, na Zona da Mata, e Campanário, no Vale do Rio Doce, a situação mais crítica em abastecimento, de acordo com a Copasa.


Em Viçosa, também na Zona da Mata, foram 125 notificações aplicadas desde 6 de fevereiro de 2013, quando a cidade decretou estado de alerta. Dessas, 11 se revertam em multa no valor de R$ 189,05. As autuações estavam suspensas, mas voltaram a vigorar semana passada,  assim como as escalas de racionamento – agora, o município vive estado de emergência. Em Juiz de Fora, na mesma região, a Lei 13.049, de novembro do ano passado, também decretou multa de quatro vezes o valor da conta de água aos consumidores infratores.

SOBRETAXA São Paulo apostou no exemplo do estado da Califórnia (EUA) para controlar a situação. Com o sistema Cantareira em situação para lá de crítica, a Companhia de Saneamento Básico do estado (Sabesp) decidiu cobrar entre 40% e 100% de sobretaxa de clientes que aumentarem o consumo de água. A medida causou polêmica e foi questionada na Justiça, que chegou a suspender a cobrança e a autorizou novamente. A cobrança será feita sempre que o consumo superar a média do gasto registrado entre fevereiro de 2013 e janeiro de 2014. Se o consumo ultrapassar em até 20% a média do período, haverá acréscimo de 40% na conta. Acima de 20%, a quantidade calculada terá adicional equivalente ao dobro. A medida vai vigorar até 31 de dezembro.


No estado norte-americano, foram necessárias ações drásticas em 2104 para controlar a falta de água durante a seca entre 2012 e 2013. Depois de conclamar a população a colaborar para uma redução de 20% no consumo e fracassar, pois a diminuição foi de apenas 5%, o governo atacou. Lá, os infratores podem receber multa de até US$ 500 (R$ 1,3 mil). Usar mangueira para lavar carro ou calçada, manter fontes que não usam água reciclada e deixar aspersores ligados por longo tempo para irrigar as plantas são algumas das infrações. Banhos rápidos são orientações para casa e até academias. No restaurante, os copos de água só são servidos se o cliente pedir.

Situação ruim dos reservatórios levou Viçosa a multar quem desperdiça(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A.Press)
Situação ruim dos reservatórios levou Viçosa a multar quem desperdiça (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A.Press)

 

POR QUE O
DESPERDÍCIO É
UM PROBLEMA?
Quanto se perde:

O consumo médio diário de água na capital e região metropolitana é de 200 litros por habitante, o dobro do preconizado pela Organização Mundial de Saúde

30% do consumo doméstico vai parar nos sanitários, chuveiro e pia

As perdas na Grande BH são de 40%. Em 2014, a cada 10 litros de água potável entregues à população, quatro não foram consumidos ou usados de maneira regular

Um banho demorado chega a gastar de 95 a 180 litros de água limpa: 5 minutos de chuveiro ligado liberam, em média, 60 litros de água; 20 minutos consomem 120 litros. Reduzindo 1 minuto do seu banho, você pode economizar de 3 a 6 litros de água

Ao escovar os dentes por 5 minutos com a torneira não muito aberta, você desperdiça 12 litros de água. No entanto, se molhar a escova e fechar a torneira enquanto escova os dentes e, ainda, enxaguar a boca com um copo de água, consegue economizar mais de 11,5 litros de água.

10 segundos apertando a descarga representam 20 litros descendo pelo vaso

 Se aberta por um minuto, uma torneira manda para o ralo entre 12 e 20 litros de água

Gotejando,  torneira chega a um desperdício de 46 litros por dia. Ou seja, 1.380 litros por mês, ou mais de um metro cúbico mensalmente

Torneira pingando uma gota a cada 5 segundos soma mais de 20 litros de água  perdidos em um dia

Um filete de aproximadamente 2 milímetros totaliza 4.140 litros num mês. Um filete de 4 milímetros, 13.260 litros por mês de desperdício.

Um buraco de 2 milímetros no encanamento, para uma pressão de 15 metros de coluna de água, equivale a 3 caixas d’água de 1.000 litros.

FONTE: Copasa, Departamento de Água e Esgoto de Patrocínio (Daep), Érika Fabri/ Newton Paiva

Consumo consciente:

Se você notar variação anormal de consumo em sua conta, tente identificar possíveis fontes de vazamento, como, por exemplo,  vasos sanitários e torneiras

A mesma água pode ser usada mais de uma vez nas atividades domésticas. Use água no balde para limpar pisos ou outras superfícies da residência

Quando lavar o carro, reserve a água em um balde. Assim não haverá tanto desperdício

Antes de lavar a louça na cozinha, retire os restos de comida e mantenha a torneira fechada enquanto estiver ensaboando

Acumule o máximo de roupas para lavá-las de uma vez só. Em caso de escovar ou ensaboar as peças, a torneira deverá ficar fechada

Banhos demorados devem ser evitados. Somente cinco minutos são suficientes para higienizar todo o corpo. Fazer a barba ou lavar peças de roupa são práticas a serem evitadas debaixo do chuveiro

FONTE: Copasa

Faça você mesmo:

Reutilize a água sempre que possível. Depois que usada para lavar roupa, ainda pode ser usada para lavar calçadas, por exemplo

Use a máquina de lavar louças ou roupa apenas quando estiverem com a capacidade máxima. Quando não for possível, regule o nível de água que será usado

Se você mora em condomínios, note que a conta da água é muitas vezes dividida igualmente entre os moradores. Nesses casos, é mais difícil controlar o uso individual do recurso. Por isso, uma opção é tentar fazer uma campanha de conscientização coletiva entre os moradores.

Não jogue lixo nas ruas. Ele pode acabar contaminando os rios da região

Use lâmpadas econômicas ou apague as lâmpadas que estão em cômodos vazios. Economizar energia elétrica é uma maneira de economizar água.

Pratique coleta seletiva.
A reciclagem é uma maneira eficiente de contribuir para a economia de água. Os produtos reciclados consomem menos água do que os produzidos a partir de matéria-prima virgem.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade