...
Publicidade

Estado de Minas

Comissão de presídio absolve Bruno após flagra com mulheres e cerveja em Varginha

Em outubro, Bruno foi visto em um bar com mulheres e cerveja. Seap afirma que a decisão é administrativa e será encaminhada à Justiça, que decide no âmbito processual jurídico


postado em 06/11/2018 14:34



O presídio onde o goleiro Bruno Fernandes das Dores de Souza cumpre pena em Varginha, no Sul de Minas Gerais, montou uma comissão para julgar os atos do detento, que acabou absolvido do Procedimento Administrativo. Em 18 de outubro, a TV Alterosa flagrou Bruno em uma mesa de uma associação vizinha, onde também faz alguns trabalhos, junto com mulheres. 

O advogado do goleiro, Fábio Gama, explicou que o cliente foi julgado por uma comissão da Associação de Proteção e Assistência ao Condenado (Apac) de Varginha, ou seja, não foi pela Justiça. De acordo com o advogado, só é marcada uma audiência quando há comprovação da falta grave. 

Na denúncia mostrada pela TV Alterosa em 18 de outubro, o goleiro foi encontrado em um bar da Associação de Esportes, que fica ao lado da APAC, no horário em que ele deveria estar trabalhando. Ele estava na companhia de mulheres e, na mesa, havia uma lata de cerveja. O encontro foi marcado pelo celular. Na troca de mensagens, o goleiro explicava onde fica o local. 

Após a exibição da reportagem, o juiz suspendeu o benefício da progressão da pena para o regime semiaberto e deu o direito de a defesa analisar as provas. Ainda segundo o advogado, a comissão do presídio analisou a questão e, na manhã desta terça-feira, o cliente voltou para a condição em que ele se encontrava antes da denúncia, mas a defesa decidiu que o goleiro não prestará serviços na APAC. 

A TV Alterosa procurou o diretor do presídio, que explicou por telefone que essa comissão é chamada de Conselho Disciplinar e que é semelhante a um juri, composta por responsáveis pelo presídio, que colheu provas e ouviu testemunhas de defesa. Mas, a decisão final será do juiz. 

A Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap) também confirmou que o caso ainda segue na Justiça. “Na última segunda-feira, (...), o Conselho Disciplinar do Presídio de Varginha se reuniu para discutir o Processo Administrativo Disciplinar (PAD) instaurado em função de supostas faltas cometidas pelo preso Bruno Fernandes das Dores de Sousa”, informou a Seap, por meio de nota. “Cabe ressaltar que o resultado dessa avaliação pelo Conselho Disciplinar é uma decisão administrativa, que será encaminhada à Justiça, a quem cabe a decisão no âmbito processual jurídico”, finalizou. (Colaborou Cristiane Silva)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade