Publicidade

Estado de Minas

Time do interior do Rio de Janeiro confirma interesse em contratar goleiro Bruno

Paduano, do município fluminense de Santo Antônio de Pádua, vai disputar a Série C do Campeonato Carioca deste ano


postado em 09/03/2017 20:01 / atualizado em 10/03/2017 07:52

Goleiro Bruno tem propostas de outras 10 times, segundo o advogado Lúcio Adolfo(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
Goleiro Bruno tem propostas de outras 10 times, segundo o advogado Lúcio Adolfo (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)

O advogado Lucio Adolfo da Silva, que defende o goleiro Bruno Fernandes, de 32 anos, faz mistério quanto ao retorno dele aos gramados após ter conseguido a liberdade, por meio de liminar concedida pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello. Mas o Paduano, time do município fluminense de Santo Antônio de Pádua, que vai disputar a Série C do Campeonato Carioca deste ano, confirmou nesta quinta-feira que fez contato com representantes de Bruno, manifestando interesse em contratar o ex-goleiro do Flamengo,. A equipe disse que está dependendo de resposta do próprio atleta e da solução de "questões jurídicas".

"Se dependesse apenas do Paduano, o Bruno já chegaria ao clube amanhã (sexta-feira) para treinar. Mas tem outros fatores envolvidos, como a questão jurídica. Penso que ele depende de autorização do Judiciário para se deslocar e trabalhar", afirmou o presidente do clube, Adilson Faria de Souza. Santo Antônio de Pádua fica distante 245 quilômetros da cidade do Rio de Janeiro, na divisa com Minas Gerais, a apenas 17 quilômetros de Pirapitinga (MG).

O advogado Lucio Adolfo, na quarta-feira, informou ao Estado de Minas que o cliente já tinha acertado com uma equipe do futebol brasileiro, com a previsão de assinar o contrato na próxima semana. Mas disse que não poderia adiantar o nome do clube. O defensor havia divulgado que pelo menos 10 equipes manifestaram interesse em contar com Bruno.

O presidente do Paduano disse que a proposta do clube é contratar Bruno para disputa da Série C do Campeonato Carioca, que vai começar em 2 de julho, e pagar os salários dele com recursos próprios. "Para nós, Bruno é um goleiro e deverá ser pago como qualquer outro atleta contratado pelo clube. Mas é claro que ele é diferenciado por causa da fama que ganhou e também pelas questões do passado dele", afirmou Adilson Faria, ao revelar ainda que, embora não tenha amizade com o atleta, manteve contato com o goleiro quando ele defendia o Flamengo, pelo qual foi campeão brasileiro em 2009.

Em julho de 2010, Bruno foi preso pelo desaparecimento da ex-namorada Eliza Samudio. Em 8 de março de 2013, o Tribunal do Júri de Contagem condenou o atleta a 22 anos e três meses de reclusão, por homicídio qualificado, sequestro, cárcere privado e ocultação de cadáver.

Na decisão liminar que garantiu a liberação do atleta, em 24 de fevereiro, o ministro Marco Aurélio Mello determinou que Bruno deveria permanecer na residência indicada à Justiça, atender aos chamamentos judiciais, informar eventual transferência e “adotar a postura que se aguarda do cidadão integrado à sociedade” até o julgamento de habeas corpus interposto em 2010 e ainda não apreciado. Em 2 de março, ele compareceu ao Fórum de Santa Luzia, em companhia do seu advogado, e indicou como endereço fixo uma casa em Belo Horizonte.

Polêmica

A negociação do Paduano com advogados de Bruno para contar com o ex-goleiro do Atlético e do Flamengo motivou polêmica entre os torcedores do clube. Na página da equipe no Facebook, foram publicadas mensagens a respeito do assunto. A maioria com críticas à possível contratação do goleiro pelo clube. A diretoria do Paduano publicou em sua própria página no Facebook um texto a respeito da questão. "Realmente o Paduano Esporte Clube está sendo procurado pelos advogados do goleiro Bruno para ele reiniciar sua carreira como atleta. Mas estamos ainda analisando os fatos e situações que nos foram oferecidas."  

"A diretoria do Paduano Esporte Clube, juntamente com o conselho do clube, associados do clube e dirigentes é que irão confirmar ou não essa possibilidade, e se a mesma vai ser aceita", diz a nota. Por outro, acrescenta: "O Paduano é um clube particular em que sua diretoria e conselho ouvem primeiramente seus associados que estão em dia com o clube. Sobre os patrocinadores, até o momento o Paduano não dispõe de nenhum. Pelo contrário, estamos em busca de investidores para disputar o Campeonato Carioca da Série C".

 

(RG) 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade