Publicidade

Estado de Minas

Em depoimento, namorada de Sérgio não confirma versão da polícia

A jovem prestou depoimento na manhã desta segunda-feira na Corregedoria da Polícia Civil


postado em 10/09/2012 15:26 / atualizado em 10/09/2012 15:43

A jovem chegou à corredoria acompanhada da advogada(foto: Tv Alterosa/Reprodução)
A jovem chegou à corredoria acompanhada da advogada (foto: Tv Alterosa/Reprodução)
A namorada de Sérgio Rosa Sales, primo do goleiro Bruno Fernandes, foi ouvida na manhã desta segunda-feira na Corregedoria da Polícia Civil, no Centro de Belo Horizonte. De acordo com a advogada da família do jovem, Adriana Eymar, a adolescente de 17 anos não confirmou a versão da polícia por não presenciar os abusos que as investigações apontam que ele cometeu contra Denilza Cesário Silva, de 30 anos, uma das suspeitas do crime. “Quanto a essa questão, ela não se manifestou e disse que não poderia falar porque não ficava com ele o dia inteiro e não viu nada”, afirma a advogada.

A adolescente iria depôr na última segunda-feira, dia 3, mas o procedimento foi adiado. Naquele dia, Denilza e Alexandre Ângelo de Oliveira, conhecido como Neguinho, de 28, e autor dos disparos contra Sérgio, se entregaram à polícia. Segundo as investigações da Corregedoria, Sérgio foi assassinado pelo homem no Bairro Minaslândia, Região Norte de Belo Horizonte, após assediar a mulher.

Com o fim dos depoimentos, a Polícia Civil deve concluir o inquérito sobre o caso. Hoje foi de suma importância para o término das investigações. Agora temos que aguardar a remessa do inquérito do corregedor para a Justiça”, explica Adriana Eymar. A advogada também descartou a possibilidade da adolescente estar gravida de Sérgio.

O crime

A reconstituição do crime foi feita na semana passada e levou cinco horas. A polícia divulgou o teor dos depoimentos de Denilza e Alexandre na terça-feira. A mulher afirmou que trabalha em um restaurante na Avenida Cristiano Machado. Para seguir até o serviço, ela passava pelo Bairro Minaslândia para fazer o caminho da casa até o estabelecimento a pé. Em 21 de agosto, um dia antes do crime, a mulher afirma que passava pela rua onde Sérgio morava quando foi assediada por ele. Segundo relatos de Cesário, o primo do goleiro Bruno a abordou, a chamou de gostosa, tentou tocá-la e mostrou as partes íntimas para ela. O jovem também avisou a mulher que caso ela passasse novamente pelo local iria repetir os atos.

No dia seguinte, Denilza pegou uma carona com Alexandre, com quem tem um relacionamento extraconjugal, que a deixou na metade do caminho. Enquanto seguia a pé, a mulher foi monitorada pelo namorado. Durante o percurso, Sérgio novamente foi ao encontro da garota e tentou agarrá-la.

Alexandre presenciou as atitudes do jovem e foi até ele. Quando chegou perto do primo de Bruno, disse “então é você o estuprador”. Logo em seguida, deu dois tiros em Sérgio que saiu correndo. Enquanto ele fugia, o suspeito atirou quatro vezes contra Sales, mas nenhum tiro acertou.

Sérgio ainda conseguiu correr e se escondeu atrás de uma árvore em uma casa de amigos. No local, também ameaçou que estava armado. Neste momento, Alexandre se escondeu atrás de um carro que estava estacionado no quintal da casa, recarregou a arma e voltou a atirar contra o jovem. Como o primo de Bruno não revidou os disparos, o homem foi chegando perto e desferiu cinco tiros a queima roupa. O último deles atingiu a boca de Sales.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade