Publicidade

Estado de Minas

Bruno e Macarrão se calam em novo depoimento

Os dois réus foram convocados pela Polícia Civil do Rio de Janeiro para prestarem esclarecimentos sobre novas denúncias sobre agressão física contra Elisa Samudio


postado em 22/09/2011 21:24 / atualizado em 22/09/2011 21:48

O goleiro Bruno Fernandes e o amigo dele, Luiz Henrique Romão, o Macarrão, foram encaminhados à delegacia de Contagem, na Grande BH, para prestar depoimento na tarde desta quinta-feira. Por meio de carta precatória enviada pela Delegacia de Mulheres de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, o Delegado João da Silva Lisboa fez perguntas sobre lesão corporal provocados em Elisa Samudio, antes de seu sumiço. Os dois não quiserem responder nenhuma questão sob alegação de estarem sem a companhia de advogado.

“A carta faz questionamentos aos fatos envolvendo os dois e a um terceiro. Essa pessoa que a polícia procura”, afirma o delegado. De acordo com a Polícia Civil do Rio de Janeiro, a delegada da Delegacia de Mulheres de Jacarepaguá, enviou a carta em março deste ano, após receber uma denúncia. A polícia não quis dar detalhes sobre as informações apresentadas.


O advogado que defende o atleta, Cláudio Dalledone Júnior, não gostou da atitude da polícia de convocar seu cliente sem a sua presença. “Isso é mais um absurdo do Caso Bruno. Isso pontua e demonstra como está sendo tratado este caso. Vou documentar isso e anexar ao processo, para deixar claro de como a polícia está agindo”, afirmou o advogado.

Bruno e Macarrão já foram condenados pelo processo em que Elisa Samudio acusava os dois por sequestro, cárcere privado e lesão corporal. O goleiro foi condenado a quatro anos e seis meses de prisão e seu amigo a três anos de reclusão.

De acordo com a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), o atleta e o amigo deixaram a penitenciária às 14h desta quinta-feira e seguiu para a delegacia de Contagem. Ao chegar no local, o goleiro reclamou do tratamento de um agente do Comando de Operações Especiais (COPE) que estaria apertando a algema e machucando o atleta. Bruno chegou a pedir para trocar o agente que o conduzia. Ele e o amigo prestaram depoimento por cerca de duas horas e retornaram para a cadeia às 16h20.

Confira a reportagem da TV Alterosa

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade