Startup mineira na área da educação recebe aporte financeiro para crescer e aparecer ainda mais

A edtech promove uma melhor interação entre o professor e aluno por meio de vídeos das suas aulas. Meta da empresa Kanttum da cidade de Uberlândia é acelerar sua expansão no Brasil e reforçar as soluções pedagógicas do seu produto de capacitação de professores


Kanttum/Divulgação
A Kanttum, única edtech no mercado nacional a desenvolver soluções tecnológicas para desenvolvimento e formação continuada de professores, dá um novo passo em seu processo de crescimento e consolidação de mercado. A empresa acaba de receber um investimento de um fundo de venture capital gerido pela Cedro Capital, gestora de fundos e recursos, com o objetivo de desenvolver e acelerar seu negócio.
 
A Startup surgiu em julho de 2014 com uma ferramenta tecnológica que possibilitava ao professor gravar sua aula e compartilhar com seus alunos para que eles pudessem rever a qualquer momento. O aplicativo chamava-se Replay4me. Com a evolução e foco em produtos direcionados a docentes, a empresa desenvolveu e concentra esforços hoje no aprimoramento da plataforma Teach Growth, utilizada por instituições de ensino para a geração de evidências a partir da observação de sala de aula, mentoria e feedback (desempenho do professor, engajamento de alunos). Assim a Kanttum contribui para o desenvolvimento dos professores e também gera indicadores pedagógicos para as escolas construirem seu plano de formação de docentes.
 
O CEO e fundador da Kanttum, Pablo Sales, tem objetivos já bem definidos para o aporte: abertura de um escritório em São Paulo, criação de um time pedagógico e ampliação da equipe de tecnologia e desenvolvimento. “Criaremos um time de educadores na Kanttum. Serão responsáveis pela estruturação dos planos de formação docente, criação de rúbricas, protocolos de habilidades e competência dos professores, coaching, mentoria e feedback. Queremos entregar uma solução completa para as escolas”, explica Pablo Sales, que completa: “Nossa meta é abrir um escritório em São Paulo para instalarmos nossa equipe de marketing e vendas”.
 
A Kanttum conquistou seu primeiro cliente em 2015 com a contratação do serviço pelo colégio Pentágono de São Paulo. Com mais de 300 professores, a instituição de ensino adotou a tecnologia do aplicativo Teach Growth. Ainda no mesmo ano, a startup foi selecionada pela Fundação Lemann para participar do Start-ed, programa de mentoria em parceria com a Endeavor. “Durante seis meses recebemos mentoria para aprender sobre formação de professores e mercado educacional”, conta Pablo.
 
Em 2016 a Kanttum ampliou sua operação com a conquista de clientes como Grupo Anima, Eleva, Insper e Cultura Inglesa. Em 2017 fechou uma parceria com o Centro Lemann em Stanford para formação de professores de matemática. O programa PED no Brasil opera através de um consórcio que conta com 7 Instituições de Ensino Superior e as Secretarias de Educação do Ceará e Pernambuco.
 
Para 2019 a meta da Kanttum é dobrar a base atual de clientes. “O objetivo é atendermos aproximadamente 500 escolas e nos próximos anos formarmos cerca de 25 mil professores por meio de nossa plataforma”, prevê Pablo.
 
Para saber mais sobre as ferramentas disponíveis da startup basta acessar: http://kanttum.com.br/ 
 

COMENTÁRIOS