" /> " /> " />
Publicidade

Estado de Minas

O fracasso como oportunidade


postado em 28/07/2016 11:00

Aquela sensação de olhar a lista de aprovados e não encontrar o seu nome, sem dúvidas, é uma grande decepção.  E só quem já passou por essa situação sabe descrever como é.

Estudar de verdade e se dedicar ao máximo por dias, meses e até anos Deixar de lado a família e amigos faz parte desse processo.  Apostar tudo e perder

Como não passei?! Sou um fracassado?

Essa talvez seja a primeira dúvida que vem à mente do oabeiro ao conferir o gabarito e ver que não foi dessa vez.

Não é por que você não passou que você está derrotado, calma!

A prova de Ordem é extremamente complexa, afinal são 17 matérias, uma infinidade legislativa, doutrinária, conteúdo acumulado ao longo de 5 anos. Realizar o Exame já é uma vitória!

Quantas vezes você estudou por horas um tema que estava no Edital e aquela parte, aquela pequena parte que você deixou de ver, foi exatamente ela que caiu? Toda prova, principalmente a da OAB, envolve diversos fatores que muitas vezes são alheios à nossa vontade.

Veja o fracasso como oportunidade

O importante é que o oabeiro tenha uma visão realista da situação. O mundo adulto é repleto de fracassos. Desejamos várias coisas e muitas vezes não somos capazes de alcançá-las e isso é normal, faz parte do ciclo da vida.

O que talvez o esteja colocando para baixo não é o evento em si, mas sim a interpretação que faz dele. Ficar com raiva certamente levará ao descontrole; pensamento do tipo sou incompetente é o combustível para a desistência.

O que realmente importa agora é levantar a cabeça.

Essa talvez seja a sua oportunidade de se reorganizar, traçar novas estratégias e quem sabe essa derrota seja um ponto crucial de mudança, tanto na sua vida pessoal como profissional. Fugindo de todos os clichês, será que se você fosse aprovado neste momento, estaria realmente preparado para enfrentar o mercado?

Um dos fatores que pode ter te levado à reprovação é exatamente a técnica que você está usando. Procure mudar sua técnica, se adapte a outras e veja se dá mais certo.

O ministro do STF, Luís Roberto Barroso, certa vez disse: ?Ninguém é bom demais e ninguém é bom sozinho?.

É válido sempre buscar ajuda. Nem sempre sua rotina permite que faça um cursinho presencial, trabalho, família, e as responsabilidades do cotidiano são fatores que dificultam sua aprovação. Pense em utilizar os recursos oferecidos pela modernidade, como um curso online, por exemplo. Olhe para a frente!

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade