Publicidade

Estado de Minas MÚSICA

Biquini Cavadão lança a sua versão de hits de Herbert Vianna

No disco Ilustre guerreiro %u2013 Ao vivo, banda carioca procurou dar novas sonoridades a 'Ska' e 'Vital e sua moto', entre oito clássicos do repertório do Paralamas do Sucesso


postado em 29/06/2020 04:00

O cantor Bruno Gouveia se diz fã das releituras de canções que já fizeram sucesso e garante que o novo álbum da banda Biquini Cavadão não é projeto cover (foto: Raoni Correia/Divulgação)
O cantor Bruno Gouveia se diz fã das releituras de canções que já fizeram sucesso e garante que o novo álbum da banda Biquini Cavadão não é projeto cover (foto: Raoni Correia/Divulgação)


Homenagear o amigo e padrinho Herbert Vianna, cantor, compositor e guitarrista do Paralamas do Sucesso. Esse é o propósito da banda Biquini Cavadão com o disco independente Ilustre guerreiro – Ao vivo, que chegou recentemente às plataformas digitais.

“Quando gravamos as músicas do Herbert, buscamos, o tempo todo, a nossa forma de nos expressar por meio da obra dele”, diz o vocalista Bruno Gouveia. O 18º disco do Biquini tem 28 faixas, oito delas assinadas pelo homenageado.

CLIPE

A romântica Caleidoscópio ganhou novo clipe. Tédio, Vento ventania, Zé Ninguém e Roda-gigante se misturaram a sucessos do homenageado – entre eles, Vital e sua moto, Mensagem de amor, Fui eu, Se eu não te amasse tanto assim, Quase um segundo e Ska.

Bruno Gouveia avisa que Ilustre guerreiro não é projeto cover. “Queríamos evitar a eterna comparação. Nossa intenção é jogar luz sobre aquele prisma, mas com outros matizes, outras cores. Nem melhor nem pior, apenas mostramos as nossas versões.”

Vital e sua moto é exemplo disso. O vocalista do Biquini diz que a original “paralâmica” tem influência do The Police, enquanto a do Biquini “é uma onda mais à la Bob Marley”. Para Bruno, sua banda conseguiu dar assinatura própria aos hits de Herbert. “Ska, de ska mesmo, só ficou o nome. Até brincamos que deveríamos rebatizá-la de 'Surf music', pois caminhamos para o lado do The Shadows e de outras bandas desse estilo.”

Biquini Cavadão e Paralamas do Sucesso são destaques do BRock, formado por bandas que estouraram nos anos 1980, vendendo milhares de discos. Em 2019, os dois grupos dividiram o palco. “Geralmente, eles se apresentavam antes de nós, tocando as versões originais. Porém, em algumas vezes ocorreu o contrário. Perguntamos ao Herbert se havia problema em fazermos as canções dele antes do Paralamas ou se deveríamos tirar alguma do repertório. Ele balançou a cabeça e respondeu: 'De maneira alguma, pois vocês tocam muito diferente da gente'. E é isso mesmo: outra pegada, outra ideia.”

Bruno ficou feliz com o projeto. “Conseguimos assinar, sem assassinar, as canções de Herbert”, brinca, revelando que adora versões. “É interessante ver como as pessoas mudam as músicas. Tenho o costume de digitar o nome de uma faixa no Spotify para conferir as releituras. Há versões incríveis, outras são sofríveis, mas descubro coisas realmente maravilhosas”, conta.

Entre as releituras que ele admira estão a de Adriana Calcanhotto para Fico assim sem você, de Claudinho e Buchecha, e aquelas da banda americana Easy Star All-Stars, que transforma em reggae sucessos de Pink Floyd, Beatles, Michael Jackson e Radiohead.

Quem quiser conferir o repertório de Ilustre guerreiro tem encontro marcado com Biquini Cavadão em 9 de julho, às 20h, durante a live da banda em seu canal no YouTube. Além de Gouveia, o grupo reúne Álvaro Birita (bateria), Carlos Coelho (guitarra) e Miguel Flores da Cunha (teclados).

Gravado em 2018 no Teatro Bradesco, em São Paulo, o novo disco conta com a participação de Marcelo Magal (contrabaixo) e de Walmer Carvalho (saxofone e flauta).

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade