UAI
Publicidade

Estado de Minas COM 66 MILHÕES DE ANOS

Ovo fossilizado de 66 milhões de anos guarda raro embrião de dinossauro

Pequeno tesouro foi encontrado entre uma série de objetos pré-históricos retirados no sul da China


22/12/2021 08:12

Ovo fossilizado
(foto: Lida Xing/Divulgação)
Nos últimos 100 anos, muitos ovos e ninhos fossilizados de dinossauros foram encontrados por arqueólogos. Mas esses cientistas buscavam um artefato mais raro: um embrião bem preservado. O pequeno tesouro - um feto posicionado de forma semelhante a um pássaro com 72 a 66 milhões de anos - foi encontrado entre uma série de objetos pré-históricos retirados da cidade de Ganzhou, na província de Jiangxi, no sul da China. Detalhes da descoberta estão na última edição da revista iScience.

"A maioria dos embriões de dinossauros não aviários conhecidos está incompleta ou com esqueletos desarticulados. Ficamos surpresos ao nos deparar com esse embrião tão bem preservado", relata, em comunicado, Waisum Ma, pesquisador da Universidade de Birmingham, no Reino Unido, e um dos autores do estudo.

O ovo avaliado por Ma e outros cientistas fazia parte de um conjunto de artefatos adquiridos, em 2000, pela empresa Yingliang Group. O acervo ficou esquecido por anos, até que uma equipe do Museu de História Natural da Pedra de Yingliang, que recebeu o material como doação, resolveu catalogar todos os itens.

O embrião, nomeado Baby Yingliang, pertence aos oviraptorossauros, uma espécie terrestre de dinossauros. Os especialistas também constataram que o feto estava em uma postura distinta de outras espécies que não voavam, em uma posição que, até agora, era considerada exclusiva dos pássaros. "Observamos uma posição da cabeça mais colada ao corpo, com os pés de cada lado, em uma postura, até então, não reconhecida em um dinossauro não aviário. Isso levanta a possibilidade de que o comportamento de dobra (coluna) pode ter evoluído primeiro entre os terópodes não aviários durante o período Cretáceo", avaliam os autores do artigo.

Encolhimento


As aves são conhecidas por desenvolverem uma série de posturas de encolhimento, nas quais dobram o corpo e colocam a cabeça sob as asas, logo antes de eclodir. Comparando 'Baby Yingliang' com os embriões de outros terópodes, dinossauros saurópodes de pescoço longo e pássaros, a equipe propôs que o comportamento de dobrar, que era considerado exclusivo dos pássaros, evoluiu pela primeira vez em dinossauros terópodes há dezenas ou centenas de milhões de anos atrás.

Mais estudos, porém, precisam ser conduzidos. A equipe britânica destaca que os dados precisam ser melhor avaliados e, se possível, comparados com análises feitas em outros fósseis do mesmo período. Eles também adiantam que planejam usar técnicas de imagem avançadas para obter mais detalhes da anatomia interna do feto, como ossos do crânio e outras partes do corpo que ainda estão cobertas por rochas.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade