Publicidade

Estado de Minas COLUNA DO JAECI

Ceni vai preservar DNA do Cruzeiro

O Cruzeiro tem um bom grupo, com alguns jogadores completamente fora de ritmo e sintonia. Caberá ao treinador recuperá-los, dar-lhes confiança e oportunidade


postado em 18/08/2019 04:00

Rogério Ceni estreia pela Raposa diante do líder do Brasileiro, o Santos, enfrentando o ídolo Sampaoli(foto: ALEXANDRE GUZANSHE/EM/D.A PRESS)
Rogério Ceni estreia pela Raposa diante do líder do Brasileiro, o Santos, enfrentando o ídolo Sampaoli (foto: ALEXANDRE GUZANSHE/EM/D.A PRESS)


O técnico Rogério Ceni estreia hoje no Cruzeiro, no Mineirão, diante do Santos, comandado por Jorge Sampaoli, de quem o novo treinador azul é fã. Foi com ele que fez seu primeiro estágio, quando o argentino ainda estava no Sevilla. Admirador confesso do futebol ofensivo, Ceni promete devolver o DNA do Cruzeiro, que o gaúcho Mano Menezes fez questão de jogar no lixo. Porém, foi exaltado por ganhar duas Copas do Brasil. Não fosse a eliminação na Libertadores e a quase queda na Copa do Brasil, ainda estaria comandando o clube, em alta com o torcedor, que aprendeu a ganhar a qualquer custo, mesmo que o futebol seja pobre e de retranca. Até que enfim poderemos ver um técnico que joga pra frente, que tem como objetivo o gol, que vai usar uma linguagem diferente dos seus pares. Em vez do “pega, mata, toca pra trás”, vai pedir “tabelas, dribles e gols”. Ufa! Pensei que nunca mais veria isso no futebol brasileiro. A mesmice e as retrancas Brasil afora são vergonhosas. Vale destacar o trabalho de Renato Gaúcho, comandando o Grêmio há três anos, pondo seu time pra frente, jogando bonito e vencendo. É possível, sim. Eu não esperava outra coisa de Renato, pois foi um baita atacante e, é claro, tem de privilegiar o gol acima de tudo.

O Grêmio só não joga melhor por falta de talentos no nosso futebol. Hoje não temos os craques do passado e, sim, apenas alguns bons jogadores. O único craque do futebol brasileiro é Neymar, que está em litígio com o PSG e que quer voltar ao Barcelona. A saída de Coutinho, emprestado ao Bayern, pode frustrar os planos de Neymar, já que era um jogador pretendido pelo PSG. E, vale lembrar, quando o Barça pagou R$ 750 milhões para tirá-lo do Liverpool, eu escrevi aqui que o time catalão estava doido e que Coutinho era apenas um bom jogador. Nada de excepcional. Passados dois anos, não emplacou na Espanha e sai emprestado, pela porta dos fundos. Vejam que Coutinho é um dos principais jogadores da Seleção Brasileira. Isso prova que o nosso futebol está em baixa mesmo. Neymar, que foi convocado por Tite para os amistosos nos Estados Unidos, mesmo sem estar atuando, teve a reprovação da maioria dos meus seguidores nas redes sociais. Vai  tornar-se um dos jogadores mais ricos do mundo sem ter conquistado a bola de ouro ou uma Copa do Mundo. Mais uma vez, Messi e Cristiano Ronaldo estarão brigando pelo troféu.

Voltando ao jogo de hoje, o torcedor cruzeirense vai ao Mineirão na esperança de ver gols, de ver sua equipe jogando pra frente e chutando de fora da área, coisa que não ocorria com Mano. Porém, não será fácil, já que com Henrique e Ariel Cabral, volantes apenas de contenção e passes para os lados, o time fica tímido. Não sei de que forma Ceni transformará esses limões em limonada, mas que algo precisará ser feito, não há dúvida disso. Ceni jogou como goleiro, uma vida toda, no São Paulo. Via os jogos ali de trás, orientava sua equipe e era uma espécie de técnico em campo. Agora, na nova função, ganhou experiência no Fortaleza, mas isso ainda não o credencia como um grande treinador. Ele está no caminho certo e terá a oportunidade de mostrar ao Brasil que sua demissão no São Paulo, onde começou a carreira, foi injusta. Aliás, foi um erro dele assumir o São Paulo em sua primeira chance. Deveria ter feito o inverso. Começado no Fortaleza e depois seguido para o Morumbi. O destino o levou ao Cruzeiro, e não há equipe melhor para ele, digamos assim, recomeçar.

O Cruzeiro tem um bom grupo, com alguns jogadores completamente fora de ritmo e sintonia. Caberá ao treinador recuperá-los, dar-lhes confiança e oportunidade. Quando um novo técnico chega a um clube, a esperança se renova entre os reservas, e a possibilidade de entrar no time faz com que treinem como leões. Ceni recusou uma proposta do Galo, segundo ele porque não era o momento e não poderia deixar o Fortaleza. Agora, acerta com o Cruzeiro. A verdade é que, naquele momento em que foi convidado pelo Atlético, não via no time alvinegro possibilidade de fazer um bom trabalho. Já no convite do Cruzeiro, avaliou o grupo e o time e enxergou ser possível desenvolver um grande projeto. Se dará certo ou não, só o tempo dirá. Entretanto, com a carência de técnicos ofensivos, tomara que Ceni seja uma grata revelação e que reconduza o Cruzeiro aos seus grandes jogos. A estreia será contra uma das melhores equipes do país, que não tem um craque sequer, mas que tem um treinador argentino, que gosta de jogar pra frente, que gosta da arte, do drible e do gol. Volta e meia toma um sacode, mas, como ganha a maioria dos jogos, é líder do Brasileirão. Que Ceni se inspire mesmo em Sampaoli, a quem já devotou admiração, e faça do Cruzeiro um time de qualidade e ofensivo. Se conseguir isso, terá sucesso, pois o DNA azul é de arte, drible e gol, jamais de retranca ou marcação. Boa sorte, Ceni. Que sua estreia seja coroada de êxito, e que seu trabalho flua com leveza e clareza de uma escola ofensiva conhecida como Cruzeiro Esporte Clube.


Publicidade