Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas COLUNA HIT

Na pandemia, o título oferecido a Nossa Senhora de Fátima revigora a fé

Nossa Senhora Missionária da Esperança participou, há 20 anos, das comemorações do centenário da atuação de Missionários Claretianos do Brasil


23/03/2021 04:00

Na Igreja de Lourdes, em BH, imagem remete à fé e à esperança(foto: Helvécio Carlos/EM/D.A Press)
Na Igreja de Lourdes, em BH, imagem remete à fé e à esperança (foto: Helvécio Carlos/EM/D.A Press)

Ela está lá há mais de duas décadas. Talvez só os mais devotos que passaram pela Igreja de Nossa Senhora de Lourdes a descobriram no altar, no final do corredor, à direita de quem entra. Se bem antes da pandemia a placa aos pés da santa soava como alento para dias difíceis, agora Nossa Senhora Missionária da Esperança tem representatividade ainda maior, diante do desejo de que a peste seja vencida sem mais dor, medo e mortes.

• • • 
 
Ao contrário do que muitos possam pensar, não estamos diante de Nossa Senhora da Esperança, pois esse título foi dado a ela no ano do centenário da atuação dos Missionários Claretianos do Brasil. Em Belo Horizonte, eles estão representados na Igreja de Lourdes. A imagem é do Coração de Nossa Senhora de Fátima, trazida de Portugal pelo padre João Megale para marcar os 100 anos da missão. A santa passou por comunidades claretianas no país ao longo de dois anos. As missas em Lourdes vêm sendo celebradas a portas fechadas, mas os fiéis podem fazer suas orações das 8h às 17h, horário em que a igreja está aberta à comunidade.

NA REDE
DE MUSEU EM MUSEU

Para tentar aliviar um pouco a barra de quem já não sabe mais o que fazer para driblar a rotina do isolamento social, uma opção é conhecer museus espalhados pelo país. A ClickBus, plataforma especializada em venda on-line de passagens rodoviárias, promete levar o internauta a oito espaços: Inhotim (em Brumadinho, Minas); Pinacoteca, Masp, Museu Afro, Museu do Futebol e Museu da Imagem e do Som (em São Paulo); Museu do Amanhã (no Rio de Janeiro); e Museu Oscar Niemeyer (em Curitiba).

ON-LINE
POSSE NA AML

Rogério Faria Tavares, presidente da Academia Mineira de Letras, toma posse nesta terça-feira (23/3) como
membro-correspondente da AML. Ele será saudado pelo presidente da ALB, Ordep Serra, e recepcionado com discurso do acadêmico, jornalista e escritor Carlos Ribeiro. Ao final, haverá homenagem ao escritor com a leitura de três crônicas de sua autoria pela poetisa Flávia Queiroz. O evento poderá ser acompanhado a partir das 19h, no canal da academia no YouTube.

VIRTUAL
PARA A GAROTADA

Até abril, a meninada terá à disposição cinco espetáculos que fazem parte do 3º Festival Estadual de Teatro Infantil. Amanhã, a peça “As aventuras do Super Quixote” será apresentada em Ipatinga. Em 3 de abril, será a vez de “Rapunzel”, em Belo Horizonte. Em 10 de abril, “Contos de arrepiar” chega a Juiz de Fora. Em 17 de abril, “O menino mais rico do mundo” encerra a programação, em Ribeirão das Neves. Os espetáculos poderão ser assistidos a partir das 17h na página do evento no YouTube. Depois das sessões, as peças ficarão no ar até 24 de abril. O festival foi viabilizado com recursos da Lei Aldir Blanc.
Técnico de saúde dá a boa-nova à minha mãe: hoje ela será vacinada(foto: Helvécio Carlos/EM/D.A Press)
Técnico de saúde dá a boa-nova à minha mãe: hoje ela será vacinada (foto: Helvécio Carlos/EM/D.A Press)

É HOJE
VIVA O SUS!

Desde o início da distribuição das vacinas, o olhar está fixo no calendário. Quanto mais cedo minha mãe for imunizada, melhor. Em casa, em Sete Lagoas, seguimos com todos os cuidados. Mas vacina é vacina, resposta da ciência à peste que toma conta do mundo e nos dá a segurança de que precisamos neste caos. O dia chegou. Hoje, Renilde, de 76 anos, receberá a primeira dose. A confirmação veio ontem bem cedo, quando o técnico do posto de saúde do bairro bateu à porta, confirmando os dados dela e informando sobre os documentos necessários. Enquanto os dois conversavam, veio a revolta. Se o serviço funciona bem, por que tanta demora para salvar milhares de vidas? Vou me apegar à santinha aí do lado e rezar para que a ciência vença – e com rapidez. Rezar por tempos em que nossa dignidade seja respeitada. E, claro, a gente reza sempre pelo Sistema Único de Saúde, o SUS.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade