Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas EM DIA COM A POLíTICA

Brasil vai mal na educação e ministro culpa o PT

Avaliação de estudantes deixa o país em último lugar em matemática na América Latina e mal em ciências e leitura


postado em 04/12/2019 04:00 / atualizado em 03/12/2019 21:14

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, atribuiu a má avaliação do ensino no Brasil aos governos anteriores(foto: Marcelo Camargo/ABR - 17/7/19)
O ministro da Educação, Abraham Weintraub, atribuiu a má avaliação do ensino no Brasil aos governos anteriores (foto: Marcelo Camargo/ABR - 17/7/19)

A culpa é do PT, que construiu a lápide da educação, que é o mural do Paulo Freire. “Integralmente culpa do PT, integralmente culpa dessa doutrinação 'esquerdófila' sem compromisso com o ensino”. Quem terceirizou o desempenho abaixo do esperado do Brasil no Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa) é responsabilidade dos governos anteriores.

Melhor o próprio Paulo Freire, mesmo sem estar presente nesta vida, citar umas poucas frases: “Ninguém caminha sem aprender a caminhar, sem aprender a fazer o caminho caminhando, refazendo e retocando o sonho pelo qual se pôs a caminhar”.

Mais um pouco: “não é possível refazer este país, democratizá-lo, humanizá-lo, torná-lo sério, com adolescentes brincando de matar gente, ofendendo a vida, destruindo o sonho, inviabilizando o amor. Se a educação sozinha não transformar a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda”.

Feito esses registros, a notícia vem é do ministro da Educação, Abraham Weintraub, diante do Pisa. “Em matemática, o Brasil ficou em último lugar na América do Sul, empatado com a Argentina. Em ciências ficou em último lugar, também da América do Sul, empatado com a Argentina e Peru. E em leitura ficamos à frente apenas de Argentina e Peru”.

Para ser justo, a notícia nova dá esperança de dias melhores. De acordo com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o Pisa aponta que, em 2018, o Brasil teve leve melhora nas pontuações de leitura, matemática e ciências, mas só dois a cada 100 estudantes atingiram os melhores desempenhos em, pelo menos, uma das disciplinas avaliadas. Aplicado em 79 países a 600 mil estudantes de 15 anos, o Pisa é referência mundial.

O fato é que com o desempenho de estudantes brasileiros na avaliação da OCDE a posição do Brasil ficou no 57ª lugar entre os 77 países e regiões com notas disponíveis em leitura, na 70ª posição em matemática e na 64º posição em ciências.

Nada saudável, né? Mas tem resposta certa., já que tem exceção: “Na média, é uma tragédia, mas, quando a gente olha as escolas militares e cívico-militares já existentes, o Brasil está acima da média da OCDE”. Melhor mudar de assunto.

Afinal, a maconha no Brasil foi liberada. Calma, aí. Quem avisa é a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), ao tomar a decisão de autorizar a criação de uma nova classe de produtos no mercado de medicamentos do Brasil. Melhor deixar claro de uma vez: são os remédios feitos à base de cannabis. É o termo que vem sendo utilizado internacionalmente.

Justa homenagem

(foto: J. C. Junot/Divulgação)
(foto: J. C. Junot/Divulgação)

Três policiais militares foram homenageados ontem na Comissão de Segurança Pública, da Assembleia Legislativa (ALMG). O requerimento partiu do deputado Antonio Carlos Arantes (PSDB), atendendo pedido do vereador de BH, Maninho Félix (PSD). Tudo diante da ação do sargento Marcos Vinicius Lisboa e dos cabos Victor Henrique Tudeia e Chrisley Soares de Lima (foto) que, em 3 de setembro último, invadiram uma casa em chamas para salvar uma idosa e um homem. “Isto não é fato isolado. Todos os dias a Polícia Militar está envolvida em atos de bravura. Por isto, são todos respeitados. O que seria de nós, sem vocês”, ressaltou Arantes. João Leite (PSDB), que integrava a mesa da comissão elogiou a ação dos PMs.

“É preciso defender quem nos defende. Minhas palavras são de compromisso pessoal e do compromisso com a instituição que presido, de apoio incondicional ao trabalho da Defesa Civil do Estado. Minas são muitas e a Defesa Civil está em todas, ela representa a índole generosa de todos os mineiros”
A frase é do presidente da Assembleia Legislativa e orador oficial da solenidade de entrega da Medalha de Mérito de Defesa Civil, deputado Agostinho Patrus. E foi em deferência e apoio da ALMG aos trabalhos da Defesa Civil, que permearam o seu discurso com agradecimentos e elogios aos integrantes das forças de segurança do estado. Detalhe importante: a cerimônia marcou os 42 anos da Defesa Civil de Minas e homenageou vítimas e sobreviventes da tragédia de Brumadinho.

Filiação ao PDT

Carlin Moura, o homenageado: Então eu, como o mais novo militante do PDT, estou à disposição para contribuir com o projeto de desenvolvimento que o PDT tem para o Brasil e para Minas Gerais. Muito obrigado. Mário Heringer: meu amigo pedetista, político de Minas Gerais, estou aqui em dia especial, um dia de festa para nós do PDT, para fazer com que essa sociedade seja mais justa, mais empática, mais equânime… Carlin Moura: eu quero é agradecer, como o mais novo militante do PDT, estou à disposição para contribuir com o projeto de desenvolvimento que o PDT tem para o Brasil e para Minas Gerais. Muito obrigado.

PEC dos pobres

O Bolsa-Família atende atualmente cerca de 13,5 milhões de famílias que vivem em extrema pobreza ou estado de pobreza e nada menos que 23 dos 25 líderes partidários da Câmara apoiaram a medida. Foi na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ), que é um pequeno retrato do plenário. Com tantos líderes assim, nem se fala. O fato é que vai tramitar a proposta de emenda à Constituição do programa Bolsa-Família. Teve controvérsias, então melhor é esperar para ver. Afinal, mudar a Constituição exige 308 dos 513 deputados e 49 dos senadores favoráveis à mudança.

Devagar, devagarinho

Economia crescendo? Será mesmo? Pelo menos, para o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), não é bem assim. “Acho que a economia está crescendo, lentamente, e vai ser lento enquanto não tirar o peso do custo do estado de cima da sociedade, enquanto a gente não aprovar a reforma tributária, administrativa, enquanto não tiver um marco legal para saneamento, para a lei de concessões, uma nova lei de recuperação judicial para garantir o direito dos credores e investimentos”, ressaltou em plenário.

Pinga-fogo

Em tempo, ainda da culpa do PT: “Me movo como educador, porque, primeiro, me movo como gente. A Educação qualquer que seja ela, é sempre uma teoria do conhecimento posta em prática”. Paulo Freire.

Mais um: desta vez sobre o PDT: “estamos trazendo aqui um trabalho importante de aproximação, de grupo que funciona em benefício do Brasil, que quer ver esse país desenvolvendo, que quer ver o nosso Estado desenvolvendo”. A frase é do deputado pedetista Mário Heringer.

E tem CPI das Fake News. Na reunião da tarde de ontem vale o registro do representante da Associação Brasileira de Imprensa, jornalista Arnaldo Cesar Ricci Jacob: “A ABI percebeu que é preciso combater as fake news no campo em que as fake news se manifestam: as redes sociais”.

A reunião foi coordenada pelo senador Angelo Coronel (PSD-BA), presidente da CPI, que tem o deputado Ricardo Barros (PP-PR) como vice-presidente. E na semana que vem tem mais fake news para serem combatidas no Senado.

Diante de tudo isso, o melhor a fazer é ficar atento contra as fake news. Elas se espalham com muita velocidade e, como o nome diz, verdades não trazem. E aproveitar para encerrar também. Um bom dia a todos.
 


Publicidade