Publicidade

Estado de Minas

Yahoo! revela mais detalhes sobre ataque de hackers em 2014

Pelo menos 500 milhões de usuário tiveram nomes, endereços de e-mails e respostas às perguntas de segurança violados


postado em 10/11/2016 09:00

O Yahoo! divulgou na quarta-feira à noite mais detalhes sobre o grande ataque contra seus serviços, incluindo a advertência de que os hackers podem ter instalado "cookies" para ter acesso no futuro às contas dos usuários.

Em suas revelações, que podem prejudicar a aquisição pendente da empresa pela gigante americana das telecomunicações Verizon por 4,8 bilhões de dólares, a companhia pioneira da internet afirma que trabalha para determinar o momento da primeira violação de seu sistema e para descobrir se os hackers deixaram um caminho para voltar a ter acesso às contas. "Analistas forenses estão investigando atualmente certas evidência e atividades que indicam que um intruso, que acreditamos ser o mesmo personagem apoiado por um Estado responsável pelo incidente de segurança, criou cookies que poderiam permitir a tal intruso burlar a necessidade de uma senha de acesso às contas de certos usuários ou informação de suas contas", afirma o Yahoo! em um documento entregue à Comissão de Valores e Seguros dos Estados Unidos. Não há evidência de que o personagem com o respaldo de um Estado ainda esteja ativo na rede da empresa com sede na Califórnia, informou o Yahoo!. Os investigadores também tentam determinar quantos funcionários do Yahoo! sabiam do ataque no fim de 2014, quando aconteceu a violação, de acordo com o documento. O Yahoo! anunciou o ataque em setembro e informou que a ação afetou pelo menos 500 milhões de usuários. As informações roubadas dos usuários incluem nomes, endereços de e-mails e respostas às perguntas de segurança, mas não inclui dados de cartões de crédito ou senhas, de acordo com o Yahoo!. A empresa alertou os usuários depois de comprovar as afirmações dos hackers sobre o roubo de dados.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade