Em 12 horas, mais de 40 motoristas são pegos dirigindo alcoolizados no DF

Balanço do Detran aponta média de 16 flagrantes em cada operação realizada

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 02/06/2014 08:09

Agência Brasil

[FOTO1]
Entre a noite de sexta-feira e a madrugada desse domingo, 42 motoristas foram pegos pelo Departamento de Trânsito (Detran) dirigindo alcoolizados no Distrito Federal. Esse número, expressivo desrespeito à Lei Seca, soma-se aos 300 flagrantes feitos em blitzes do órgão nos primeiros 20 dias do mês passado. O alto índice de autuações é reflexo do Maio Amarelo, programa no qual os Detrans de todos o país se mobilizaram para colocar em prática ações para reduzir as mortes no trânsito. A quantidade de infratores é ainda maior, pois falta o balanço do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) e do Batalhão de Trânsito da Polícia Militar (BPTran) nas blitzes conjuntas realizadas.

“O Maio Amarelo é um movimento mundial que visa conscientizar os condutores e os pedestres sobre o elevado número de mortos, feridos e pessoas com sequelas decorrentes de acidentes de trânsito. No Distrito Federal, o Detran, o DER e a Polícia Militar intensificaram as operações de trânsito para alcançar o objetivo desse movimento”, afirma Frederico Abraham, diretor de Policiamento e Fiscalização do Detran.

Na noite de sexta-feira, o Correio acompanhou uma das blitzes que encerraram o movimento. Dezesseis agentes do Detran, em sete viaturas, mais dois carros da PM instalaram-se nas redondezas da QE 38, entre o Guará 2 e o Núcleo Bandeirante, próximo ao Polo de Modas e a uma concentração de bares. Em uma hora, os auditores flagraram 12 motoristas que se recusaram a fazer o teste do bafômetro, seis sem carteira de habilitação, guincharam 12 carros até o depósito e multaram condutores por mais 20 infrações diversas.

“É um número elevado para apenas uma hora de operação”, disse Lucio Lahm, auditor fiscal de trânsito e encarregado da operação no Guará. “Escolhemos este local próximo dos bares para que os condutores alcoolizados não dirijam mais de 1km. Tentamos tirá-los de circulação, pois a maior parte dos acidentes na madrugada é causada por alcoolemia ao volante”, explicou. O motoboy Aramucio Alves de Souza, 43 anos, e a chapeira Marta Alves, 27, parados na blitz e aprovados no bafômetro, concordam. “Acho a Lei Seca uma boa. Deveria ter mais blitz”, disse Marta.
Tags:
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.