Estado de Minas - Acompanhe as últimas notícias sobre Minas Gerais, economia, política, nacional, internacional, ciência e tecnologia Guri

SIGA O EM

MEU OLHAR/O CENTRO

Cidade fica mais alegre com ipês floridos

Centenas de Ipês floridos colorem o inverno de belo horizonte

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 03/08/2015 17:05

Estado de Minas

Arquivo pessoal

A Ana Vitória tem toda razão. Quem anda pelas ruas de Belo Horizonte pode notar a beleza das flores se sobressaindo nas árvores. Nas avenidas Afonso Pena, do Contorno, Amazonas e Brasil, e nas alamedas da Praça da Liberdade, eles contrastam com o azul do céu de inverno e fazem jus ao nome da capital. Emoldurada pela Serra do Curral, a identidade belo-horizontina ganha tons vivos da árvore símbolo do Brasil.

As flores não só dão mais alegria ao dia a dia como deixam as pessoas mais bem-humoradas e felizes. Nos próximos dias, a cidade deverá ficar ainda mais colorida, com a floração dos ipês-brancos, já que os amarelos floresceram antes do tempo, por causa da falta de chuva.

No fim do ano passado, a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) realizou um inventário das árvores na cidade. Foram contabilizadas 215,5 mil árvores, sendo 72,2 mil na Região Centro-Sul. Das 382 espécies identificadas, a floração de 69 impactavam positivamente na paisagem urbana. Os ipês correspondiam a 8,54% das árvores levantadas, sendo os rosados, tabaco, mirim e roxo os mais comuns. Os roxos e rosados representavam cerca de 80% do total de ipês. O amarelo e branco, por sua vez, ocupavam a quinta e sexta posições, respectivamente, correspondendo a 8,19% e 7,93% do total. Na primavera do ano passado, a prefeitura iniciou o plantio de outras 50 mil árvores, sendo a maior parte delas ipê-roxo.

IPÊ-DO-CERRADO BH fica na transição do cerrado com a mata atlântica e, por isso, temos o ipê-do-cerrado, com menor porte e o ipê-de-mata-atlântica, com maior porte. A prefeitura vem intensificando o plantio de ipês que, no inverno, embelezam as ruas com a floração. O nome científico do gênero é Tabebuia, que comporta diversas espécies do roxo e do amarelo. O branco, o Tabebuia aurea, ocorre em menor quantidade na capital e é o último a florescer.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600