SIGA O EM

Fotógrafo do Estado de Minas é agredido em cobertura da greve geral; veja vídeo

Homens tentaram cobrar dinheiro para ele subir em uma sobreloja no Centro de BH

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 28/04/2017 13:03 / atualizado em 28/04/2017 22:47

Estado de Minas


Um repórter fotográfico do Jornal Estado de Minas foi agredido ao tentar subir em uma das sobrelojas da Praça Sete, no Centro de Belo Horizonte, para fazer imagens da manifestação.

Ao menos três homens queriam cobrar a entrada dele, que se negou, por ser um espaço público.

Ao questionar a cobrança, o grupo o empurrou em direção a uma grade e um indivíduo tentou dar um soco no profissional de imprensa.

De acordo com o repórter, as agressões aconteceram quando ele tentava fotografar a manifestação contra as reformas Trabalhistas e da Previdência, que tinha grande concentração de pessoas na Praça Sete.

“Fui tentar fazer imagens da sobreloja do prédio que dá ampla visão do que estava acontecendo na manifestação. Em uma parte da galeria, fecharam com um portão de ferro e estavam cobrando ilegalmente uma entrada de R$ 5 a R$ 30. Não sei qual o critério deles”, disse.

O fotógrafo questionou os homens sobre a cobrança e começou a gravar um vídeo. Neste momento, acabou agredido. “Comecei a gravar o vídeo e questionei sobre a cobrança, já que é um prédio público. Nisso, um deles mandou abrir a porta e eles me agrediram. Me jogaram para cima de uma grade e acabei machucando o meu braço. Um deles tentou me dar um soco e eu me desvencilhei. Não agredi nenhum deles e acionei a polícia”, contou.

O repórter procurou uma Companhia da Polícia Militar, localizada na Rua Carijós, para registrar boletim de ocorrência. Em seguida, foi a uma delegacia na Via Expressa.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
sergio
sergio - 28 de Abril às 15:47
Bandidos, vagabundos, sanguessugas. Esses vermes se fazem de machões quando estão em bando, quando estão sozinhos são menininas que tremem ao verem um rato. Quero ver se a polícia irá tomar as medidas cabíveis.
 
Grace
Grace - 28 de Abril às 13:58
o que a população esperava do movimento organizado pelo CUT e sindicatos que são representante dos petralhas com a finalidade de manipular o povo. somente desordem até porque muitos nao sabem nem por qual motivo esta nas ruas. Sou contra a reforma da previdencia o povo não pode pagar pelo roubo do PT e demais partidos. mas participar do desespero dos sindicatos em perder o imposto sindical, desse jeito melhor ir na manifestação dos coxinhas, não atrapalha transito, não queimão onibus sempre nos domingos acho que isso é protesto.
 
sebastião
sebastião - 28 de Abril às 13:38
Podem ler nas testas dos agressores, que está inscrito: BANDIDOS.
 
Rogério
Rogério - 28 de Abril às 13:28
Bem feito. A midia fica dando atenção pra esses vagabundos tentando fazer cobertura desse protesto promovido pela cut e pt. Dá nisso.