SIGA O EM

Pesquisadores vão elaborar relatório independente sobre danos ambientais no Rio Doce

Grupo criou página no Facebook para arrecadação coletiva de fundos para cobrir os custos do trabalho de coleta e análise de amostras ao longo do Rio Doce

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 16/11/2015 12:05 / atualizado em 16/11/2015 16:20

Estado de Minas

Reprodução internet/Facebook

Pesquisadores e cientistas brasileiros lançaram campanha de crowdfounding para arrecadar recursos que serão destinados à elaboração de um relatório independente sobre os impactos ambientais causados pelo rompimento das barragens da mineradora Samarco em toda a extensão do Rio Doce. A primeira iniciativa do grupo de ambientalistas foi a criação de uma página no Facebook para divulgar o projeto e obter recursos. A página Grupo Independente Para Avaliação do Impacto Ambiental (GIAIA) já tem cerca de 2.900 participantes e apoiadores de várias partes do país.

Entre os coordenadores da campanha, que pretende arrecadar R$ 50 mil para cobrir as despesas com deslocamento até a região afetada pela lama da Samarco, coleta e análise de amostras em Mariana e ao longo do leito do Rio Doce, estão o biólogo Dante Pavan, da USP, e Viviane Schuch, bióloga e pesquisadora da Unifesp, e que é a coordenadora do projeto.Logo após o acidente ambiental em Mariana, pesquisadores do grupo usaram recursos próprios para percorrer o Rio Doce, recolhendo amostras antes da passagem da lama tóxica. Agora, buscam sustentação financeira coletiva para a segunda etapa do trabalho de campo e a elaboração do relatório independente.

Os pesquisadores informam que todos os resultados do relatório serão tornados públicos e que será feita prestação de contas de cada centavo investido na elaboração do documento. Foram criadas duas hashtags para a divulgação da campanha nas redes sociais: #sosRioDoce e #somotodosresponsaveis. Para quem quiser contribuir, este é o link para a página no Facebook: https://www.facebook.com/groups/impactoambientalMariana/

Veja imagens da trinca descoberta na barragem de Germano
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600