17°/ 30°
Belo Horizonte,
31/OUT/2014
  • (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Corpos de vítimas de acidente entre ônibus e carreta na BR-040 são identificados De acordo com o diretor da empresa, o motorista teria se confundido com manobra de caminha de carvão que seguia na frente dele

Marcelo Ernesto

Publicação: 18/03/2012 12:41 Atualização: 18/03/2012 14:53

15 pessoas morreram na colisão entre o ônibus e a carreta  (Sidney Melo /  Portal Felixlândia MG )
15 pessoas morreram na colisão entre o ônibus e a carreta


Todas as 15 pessoas que morreram no grave acidente entre um ônibus e uma carreta, na tarde desse sábado, na divisa dos municípios de Felixlândia e Curvelo, na Região Central de Minas, já tiveram os corpos reconhecidos por familiares e representantes da empresa Conenge, responsável pelo ônibus e pelo transporte. Além de Ipatinga, que concentra o maior número de vítimas, as cidades de Belo Oriente, Ipaba, Vargem Alegre e Cachoeira Escura - todas na Região do Vale do Aço -, vão receber corpos para o sepultamento. Segundo informações da Policia Rodoviária Federal, até o momento o motorista do ônibus não foi ouvido. Ele teve uma fratura do braço e passou por uma operação durante a noite. Ainda segundo a PRF, o condutor deve ser ouvido assim que tiver condições.

Veja imagens do acidente


Segundo informações da funerária, que foram confirmadas por um representante da Conenge, que auxiliou no reconhecimento dos corpos, os velórios vão se concentrar em Ipatinga. Não será feito um velório coletivo, porém, o cemitério municipal da cidade vai receber a maioria das vítimas. De acordo com o Heleno Conte, diretor-presidente da Conenge – empreiteira que presta serviço de montagem eletromecânica -, o acidente foi uma fatalidade. “Estamos todos na empresa consternados e de luto”, lamentou. Segundo ele, o motorista da empresa seguia atrás de um caminhão carregado de carvão. Os batedores da carreta teriam sinalizado para o caminhão, que diminuiu a velocidade e ficou mais a direita da pista. Neste momento o condutor do ônibus teria interpretado como uma sinalização ultrapassagem, e colidiu com a lateral da carreta que vinha no sentido contrário.

Ainda segundo o diretor da empresa, os funcionários voltavam de um serviço em Paracatu, na Região Noroeste de Minas, onde ficaram por cinco dias. Alguns são funcionários antigos da empresa, que presta serviços há 15 anos, e outros foram contratados especialmente para essa empreitada. De acordo com Heleno, todos possuem seguro de vida. Além disso, as famílias estariam sendo assistidas.

O ônibus da empresa vinha de Paracatu e seguia para Ipatinga, quando bateu na lateral de uma carreta, carrega com tubos. De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, além dos 15 mortos, sete pessoas tiveram ferimentos leves e outras nove ficaram gravemente feridas. Todos os machucados foram encaminhados para hospitais de Sete Lagoas, Curvelo e Belo Horizonte. Um helicóptero da PM e um dos bombeiros foram usados duranta a operação de resgate. A carreta tem placa de Santo André, no interior paulista.

Veja os nomes das vítimas

Adriano Ferreira Lopes, 29 anos, mecânico de manutenção
Altair Bicalho, 45 anos, mecânico de manutenção
Carlos Ferreira dos Santos, 47 anos, encarregado de manutenção
Cleudes Macedo Gomes, 27 anos, mecânico de manutenção
Davi de Faria Mendes, mecânico de manutenção
Edson Gomes da Silva, 28 anos, mecânico de manutenção
Gerson Batista de Souza, 51 anos, mecânico de manutenção
Gilberto de Souza Gonçalves, 51 anos, mecânico de manutenção
Isaías Vieira Silva
Ivanildo Vieira Gomes, 33 anos, mecânico de manutenção
Jadson Gonçalves Lage, 30 anos, encarregado de mecânico
Joel Lucindo de Andrade, 53 anos, encarregado de mecânico
José Maria Barreto, 34 anos, técnico de segurança do trabalho
Nivaldo José Lourenço, 33 anos, mecânico de manutenção
Tadeu Fernandes Schubert
Tags: celular

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: Alexandre Araújo
Paz às famílias. E novamente o estado é o culpado por não manter rodovias importantes em condições satisfatórias, permitindo trânsito pesado em estradas em mão dupla ao mesmo tempo que não obriga o trânsito de madeira, carvão, líquidos inflamáveis serem através de ferrovias. LAMENTÁVEL esta política | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.